terça, 20 de outubro de 2020

Rio inaugura mais um hotel para pessoas em situação de rua

Hotel Cruz de Ouro, localizado no Centro, acolheu 100 homens nesta quarta-feira (20). Foto: Divulgação / Prefeitura do Rio

A Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SMASDH), inaugurou mais um hotel popular, em modelo de albergue, para a população em situação de rua. O Hotel Cruz de Ouro, localizado no Centro da cidade, acolheu 100 homens com idade de 18 a 59 anos e 11 meses, nesta quarta-feira (20).

Este grupo de acolhidos é formado por homens que já passaram, inicialmente, por outras unidades da pasta, como Hotel Solidário da Central do Brasil, Sambódromo, URS Ilha – Central de Recepção de Adultos e Famílias CRAF Tom Jobim, Plínio Marcos e URS Realengo.

Com a transferência, 80 novas vagas foram abertas nestas unidades, menos na unidade Hotel Solidário da Central, que irá passar por reformas, em breve, o que impossibilita com o local ocupado.

A secretária Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos, Tia Ju comentou sobre o novo espaço. Segundo ela, este trabalho é a continuidade do processo de acolhimento que já acontece diariamente, mas que se intensificou por conta do aumento na procura por abrigos causado pela pandemia do novo coronavírus.

“Hoje nós visitamos as instalações, conversamos com os usuários, acompanhamos o almoço e recebemos diversos elogios sobre o local e a forma como estão sendo tratados. Isto é gratificante demais. Esta população também merece todo o nosso carinho e o nosso cuidado, principalmente, neste período de pandemia. Nós estamos ofertando 80 novas vagas para a população em situação de rua, trabalhando para dar suporte a todos que necessitam”, declarou a secretária.  

De acordo com a subsecretária de Proteção Especial, Nilceia Carneiro da Silva, estes acolhidos já estão em processo de reinserção social e o próximo passo é trabalhar a questão da empregabilidade tanto formal, quanto a informal, de modo que as pessoas possam retomar as suas vidas.

“O objetivo é que eles conquistem um emprego, conquistem o seu próprio espaço ou até mesmo retornar para as suas famílias, com muita dignidade, que é como esse trabalho vem sendo pensado ao longo do ano”, finalizou Nilceia.

Publicado às 13h27.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *