domingo, 20 de setembro de 2020

Riscos no DCE da UFF serão levados à Prefeitura

Teatro está fechado ao público. Foto: Wallace Rosa
Teatro está fechado ao público. Foto: Wallace Rosa

Membros da organização do Diretório Central dos Estudantes Fernando Santa Cruz (DCE-UFF), no Centro de Niterói, seguem na luta pela revitalização do teatro MPB 4. No fim do ano passado, a Prefeitura de Niterói se reuniu com estudantes e responsáveis pela faculdade, declarando a intenção de participar da reforma do prédio, mas caberá aos estudantes detalhar em pouco tempo os riscos estruturais do espaço.

Da bilheteria à coxia. O teatro carrega na mobília, castigada pelo abandono, uma história de resistência da cultura brasileira. Palco para grandes nomes da música há cerca de 40 anos, o tablado busca agora outra audiência: a do Poder Público. Em dezembro, o Teatro Noel Rosa, no campus Maracanã da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), foi reaberto após ficar fechado desde 2011, devido a problemas estruturais. A pergunta dos integrantes da chapa é: será que chegou a vez do DCE-UFF?

De acordo com o coordenador-geral da “Todos os Cantos”, responsável pelo prédio, Marcos Teixeira, de 22 anos, o local tem preservados: equipamentos de luz, som e projeção, além de parte do sistema de refrigeração. O maior problema destacado na vistoria feita pelos próprios estudantes é com relação ao teto e pontos de infiltrações. Segundo o estudante de Ciências Sociais, é preciso uma atenção especial, pois parte o rebaixamento caiu após chuvas fortes.

“Vamos montar um projeto completo, com mapeamento de toda a estrutura do prédio, incluindo o teatro. Nos andares, onde tem as salas, o mais urgente é fazer a revitalização da fachada, pintura, fiação, rede de esgoto e revestimento. No teatro, nossa intenção é que se torne uma sala multiuso, ou seja, um espaço que possa receber diferentes tipos de espetáculos”, contou.

Em setembro do ano passado, em reportagem do Plantão Enfoco foram denunciadas as condições estruturais do DCE, que fica ao lado do campus do Valonguinho da Universidade Federal Fluminense (UFF). Poucos dias depois, a Prefeitura de Niterói declarou a intenção de participar da reforma, porém a medida precisa ser feita antes do período eleitoral.

“A reabertura do teatro é uma forma de mostrar como a cultura é um caminho possível para a transformação da sociedade. É um espaço de troca, de incentivo e fomento de artes. Também é uma maneira de a universidade dar um retorno para a cidade, porque um ambiente como esse vai muito além dos muros da instituição”, declarou Marcos.

O plano do grupo é que o projeto seja finalizado até março e seja encaminhado para o setor responsável da Prefeitura, para evitar transtornos com a legislação eleitoral, devido ao pleito deste ano.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

1 thought on “Riscos no DCE da UFF serão levados à Prefeitura

  1. É próprio federal, a responsabilidade é da UFF. Os Administradores da Universidade deixaram chegar a esse ponto de abandono e depredação, com a “liberdade estudantil” . Que eles consertem e reparem o prédio. A Prefeitura não deve assumir essa responsabilidade que é federal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *