quinta, 21 de janeiro de 2021

Rodrigo Neves declara intenção de abrir mais leitos em hospitais

Rodrigo Neves, Prefeito, Niterói, Entrevista
Neves confirma a intenção de novos leitos para atender pacientes com Covid-19. Foto: Vítor Soares

Por Ezequiel Manhães


A oito dias de deixar o governo de Niterói, prefeito Rodrigo Neves (PDT) declara que por conta do aumento de casos de Covid-19, caso a cidade atinja o indicador síntese 10, nas próximas semanas, há intenção de abrir novos leitos de UTI nos hospitais da rede pública, entre eles o Hospital Municipal Oceânico – primeira unidade exclusiva para os cuidados do novo coronavírus no país.

“Tem esse planejamento, claro. Eu tenho certeza que Niterói vai conseguir vencer esta guerra contra o coronavírus”

A cidade permanece no estágio amarelo nível 2 – alerta máximo e o último indicador síntese disparou para 8.8, de acordo com o Comitê Científico. Neves contou ao Plantão Enfoco nesta quarta-feira (23) que o resultado do próximo indicador será conhecido apenas na segunda-feira (28).

Até lá, o prefeito descarta qualquer espécie de lockdown durante o Natal e Ano Novo. Mas lembra que no dia 31 – casas de festa, bares, clubes, restaurantes e demais eventos com venda de ingresso estão proibidos depois das 18h.

O indicador síntese é composto de 12 critérios, como número de leitos disponíveis, casos confirmados e número de óbitos, e orienta o Plano de Transição Gradual para o Novo Normal em Niterói.

Quando o indicador chegar em 5, a cidade passa para o estágio amarelo nível 1 – alerta, e novas atividades serão permitidas. Caso o indicador atinja 10, a cidade volta ao estágio laranja – atenção máxima, e medidas de restrição poderão ser novamente implantadas.

“Esse indicador síntese orienta todas as ações do Plano de Transição Gradual e está apontando que nós podemos, sim, caso não façamos uma mobilização de conscientização, neste final de ano, ter um aumento”

Governador?

Prefeito não nega a possibilidade de se candidatar a governador. Foto: Victor Soares

Rodrigo Neves não nega o burburinho sobre uma possível candidatura ao Governo do Estado pelas eleições de 2022. De malas prontas para os braços da família e aos estudos no ramo da Sociologia, após intensos oito anos gerindo Niterói, o pdtista deixa o mistério no ar, acompanhado de risadas para lá de sugestivas — ao ser questionado sobre o possível plano do Partido Democrático Trabalhista (PDT), comando por Carlos Lupi, que já teria manifestado apoio em lançar Rodrigo ao governo estadual.

“Acho que essa lembrança se deve sobretudo ao fato de Niterói hoje ser um oásis do ponto de vista dos resultados da gestão pública, em todas as áreas, no contexto de retrocessos. Entretanto, a minha vontade é de me dedicar a Sociologia, seja como professor ou pesquisador, e também me dedicar a família, porque estou há oito anos com muita dedicação e amor a cidade e realmente sou grato e que devolveu o tempo todo em reconhecimento e amor a todo esse esforço”

Investigação

Ação da Polícia Federal fez parte da Operação Transoceânica, que também cumpriu mandados nas cidades do Rio de Janeiro e São Paulo, no último dia 16. Foto: Pedro Conforte

O prefeito avalia que ‘tem observado situações de utilização de órgãos do estado para atacar a reputação de instituições e de pessoas’, em referência à última ação de busca e apreensão da Polícia Federal na própria residência.

A ação fez parte da Operação Transoceânica, que também cumpriu mandados nas cidades do Rio de Janeiro e São Paulo, no último dia 16. Apenas o celular de Rodrigo foi apreendido à época. Ao Plantão Enfoco Neves sugere acreditar em jogo de desgaste de imagem para futuras candidaturas.

“Evidentemente a gente tem observado situações de ataque a reputação. Mas eu confio nas instituições do estado democrático de direito, no Poder Judiciário, indispensáveis para conter abusos típicos, não de regimes democráticos, mas autoritários. Foi no mínimo estranha essa ação e mais uma vez sequer fui ouvido. É grave citar um relatório que já tinha sido revisado, situações que não têm nenhum tipo de atribuição federal”

Segundo Neves, a Defesa já fez petição solicitando investigação de vazamento criminoso, de um relatório que deveria ser sigiloso, sem autorização de juízo federal: “Pedimos também a anulação da ação por falta de atribuição federal no caso”.

Diálogo

Vereador, vereadores, câmara, Niterói
Base do governo será a maior entre 2021/2024 na Câmara de Niterói. Foto: Pedro Conforte

O PDT, legenda de Rodrigo Neves e do prefeito eleito Axel Grael, tem o maior número de representantes na Câmara Municipal: 4. Seguido do PSOL com 3. Em seguida, estão as demais legendas.

Niterói fez história neste pleito ao eleger a primeira mulher vereadora transexual, Benny Briolly (PSOL), que teve 4.358 votos. Diante deste cenário, Neves comenta que o legislativo local tem composição positiva e representativa dos diversos segmentos da sociedade de Niterói. Ele acredita que a cooperação entre os poderes seja fundamental, citando Legislativo, Judiciário e Executivo.

“Axel [Grael – prefeito eleito] terá apoio de vereadores e mesmo os da oposição me parece que estão com atitude construtiva e positiva de ajudar a cidade nesse próximo período”

Para Neves, gerir bem a cidade de Niterói especificamente nos últimos dois anos, temporada da eleição do presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) — que tem uma base de oposição ao governo municipal — foi preciso diálogo e transparência.

“Acredito que nenhuma sociedade no mundo evoluiu numa situação de falta de diálogo, intolerância, onde é muito importante que a gente tenha conhecimento histórico. As sociedades onde esse pensamento predominou, acabaram se destituindo. Não há prosperidade econômica, social, espiritual em um contexto de intolerância e de falta de respeito às diferenças”, endossa.

A administração, segundo Rodrigo Neves, assumiu em 2013 com dívidas superiores a R$ 500 milhões e vai entregar nos próximos dias a prefeitura com mais de R$ 700 milhões em conta disponíveis. Ele confidencia que quando assumiu a cidade, o Fundo Municipal de Previdência tinha R$ 12 milhões e, hoje, tem mais de R$ 740 milhões.

Niterói racista

O prefeito nega que Niterói seja uma cidade racista apesar da crescente nos indicadores do Instituto de Segurança Pública. Foto: Pedro Conforte

Reportagem veiculada no mês de novembro pelo Plantão Enfoco revelou dados sobre racismo em Niterói, pelo Dossiê de Crimes Raciais, elaborado pelo Instituto Segurança Pública do Rio (ISP-RJ).

Segundo Marcela Ortiz, diretora-presidente do ISP, a região central de Niterói foi uma que se destacou entre ocorrências de racismo no estado. De acordo com o dossiê, em 2018 foram registrados 31 casos de discriminação racial na cidade. Já em 2019, esse número aumentou para 36, o que representa um aumento de 16%.

Questionado se Niterói falhou em políticas públicas neste sentido, durante o mandato de oito anos, Rodrigo Neves justifica que ‘o indicador revela, infelizmente, uma realidade que persiste no meio urbano brasileiro, de violência sobretudo contra jovens negros’.

Apesar disso, ele declara que a ‘imensa maioria da população de Niterói é solidária e não é racista’.

“Esse é um desafio que as atuais e futuras gerações de brasileiros precisam definitivamente superar”

O prefeito ainda enaltece que a cidade foi a primeira a criar iniciativas de conscientização na atual gestão, citando o Estatuto Municipal da Igualdade Racial; Conselho Municipal em Defesa da População Afrodescendente e Programa de Cota nos Concursos Públicos.

“Acredito que essas políticas afirmativas são necessárias até que se supere esse cenário. Não é processo de uma cidade, mas que o país precisa se engajar de maneira mais intensa, porquê é inaceitável situações como a do músico da Orquestra da Grota, que ficou detido após identificação por foto na delegacia, sem qualquer tipo de prova que tenha cometido crime”, finaliza.

Saúde

O médico sanitarista se destacou nos últimos meses devido às ações de combate à pandemia do novo coronavírus. Foto: Ascom Niterói

O prefeito eleito de Niterói, Axel Grael (PDT), anunciou nesta quarta-feira (23) que o secretário municipal de Saúde, Rodrigo Oliveira, será mantido no cargo durante seu governo. O médico sanitarista se destacou nos últimos meses devido às ações de combate à pandemia do novo coronavírus, que fizeram de Niterói uma referência.

Rodrigo Oliveira assumiu o cargo de secretário, coincidentemente, no início da pandemia. Até 2019, ele dirigiu o Hospital Municipal Getúlio Vargas Filho, o Getulinho. Anteriormente, entre outras funções, trabalhou no Departamento de Atenção Básica do Ministério da Saúde e atuou como secretário de Saúde dos municípios de Silva Jardim e Angra dos Reis.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *