quarta, 28 de outubro de 2020

São Gonçalo pode ficar sem os R$90 milhões de Niterói e Maricá

Parte da verba seria destinada para o hospital de campanha. Foto: Arquivo/Marcelo Tavares

Os R$90 milhões anunciados como doação dos municípios vizinhos, Niterói e Maricá, para reforçar o combate ao novo coronavírus em São Gonçalo ainda não foram repassados. De acordo com as cidades, estava previsto no protocolo de intenções, assinado no início de abril, que a verba só seria destinada se o Governo do Estado desenvolvesse um plano de ação detalhado, que até hoje não foi entregue.

Mesmo assim, o hospital de campanha – projeto que demandaria maior investimento dentre a verba proposta – será inaugurado nesta terça-feira (26), no Clube Mauá, no Centro de São Gonçalo, e começará a receber pacientes já no dia seguinte, dependendo da regulação do sistema. A informação foi passada pelo médico Hélcio Watanabe, superintendente do Instituto de Atenção Básica e Avançada à Saúde (Iabas), organização social responsável pelo funcionamento.

O atraso na entrega tem causado rumores de fraude na aplicação dos recursos, uma vez que foi divulgado amplamente que o hospital seria construído com os R$45 milhões de cada prefeitura. Segundo o Iabas, até esta segunda-feira (25), o espaço já conta com 10 respiradores em UTIs e, com a remessa importada da China que chegou ao Rio, passará a operar com 50. Foram anunciados para São Gonçalo a abertura de 200 leitos.

A Prefeitura de Maricá informou que, até esta segunda-feira (25), não recebeu o plano de ação do Estado para a implantação das unidades previstas em São Gonçalo no convênio assinado juntamente com Niterói. E que, em função disso, não houve qualquer liberação de recursos.

Durante um pronunciamento pelas redes sociais, no dia 14 de maio, o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves (PDT), também afirmou que ainda não havia repassado nenhum centavo para a Secretaria de Estado de Saúde. Segundo o chefe do Executivo, a verba não seria repassada até que o Governo do Estado apresentasse um plano sólido de ação, comparando ao projeto feito para o Hospital Oceânico, primeira unidade pública do país exclusiva para o combate ao coronavírus.

“A Prefeitura de Niterói assinou um protocolo de intenções como um gesto de solidariedade, mas também como um gesto inteligente porque é fundamental a retaguarda hospitalar de São Gonçalo estar bem estruturada, porque estando bem estruturada, pressiona menos a retaguarda hospitalar de Niterói. E dos R$45 milhões desse protocolo previstos simplesmente não foi repassado nenhum centavo ainda, sequer foi assinado o convênio”, afirmou o prefeito.

Em nota, a Prefeitura de Niterói confirmou, nesta terça-feira (26), que não repassou a verba de R$ 45 milhões, porque não foi apresentado um plano de trabalho detalhado de execução de serviços, prerrogativa para liberação.

Procurada, a Secretaria de Estado de Saúde não se pronunciou sobre os fatos.

Publicada às 21h56 e atualizada às 16h23 (terça-feira, 26)

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *