terça, 19 de janeiro de 2021

Suspensão de volta às aulas mobiliza carreata em Niterói

Escolas particulares garantem protocolos de segurança sanitária. Foto: Ascom / Niterói / Arquivo

Após o Tribunal de Justiça do Rio acolher o recurso da Procuradoria Geral de Niterói para derrubar a liminar que liberou a volta às aulas presenciais na cidade, uma carreata está sendo preparada para manifestar apoio pelo retorno das atividades escolares. O ato está marcado para acontecer neste sábado (28), a partir das 9h30, com saída no bairro de São Francisco até a sede da prefeitura, no Centro.

De acordo com a organização, a carreata será pacífica e respeitará as regras de segurança contra a Covid-19. O movimento começou na tarde desta quinta-feira (26), pelas redes sociais, logo após a queda da liminar e se espalhou rapidamente, já envolvendo milhares de participantes.

“Considero importante o apoio da sociedade em se manifestar pela retomada das aulas presenciais. Nós, gestores educacionais, estamos desde abril envolvidos nesse movimento, que a cada dia ganha mais aliados. Importante frisar que o ensino híbrido (presencial e remoto) irá acontecer em respeito à garantia de ensino a todos. Apoiamos a carreata, na certeza que será um momento pacífico em busca do direito constitucional que as crianças têm à educação”

Anna Lydia Collares, diretora das escolas Maple Bear Niterói e Estação do Aprender

A Justiça havia determinado o retorno imediato das aulas presenciais em Niterói, no fim da tarde de segunda-feira (23), a partir do Ministério Público, com base em uma Ação Civil Pública ajuizada pelo Ministério Público do Rio. Na liminar, a juíza Rhohemara dos Santos Carvalho Arce Marques autorizava o retorno imediato das atividades pedagógicas em creches e nas unidades da educação infantil de Niterói, das redes pública e privada, assim como nas escolas do ensino fundamental. Entretanto, a medida havia sido deferida em caráter liminar (temporário).

A Procuradoria Geral do Município (PGM) de Niterói entrou com um recurso para reverter a decisão e o presidente do TJ-RJ acatou, determinando a imediata suspensão dos efeitos da decisão proferida nos autos de ação civil pública. A decisão do presidente vai vigorar até o trânsito em julgado da decisão de mérito na ação principal.

“O Sindicato das Escolas Particulares defende o imediato retorno às aulas de forma gradual e segura, obedecendo os protocolos sanitários. As escolas particulares fizeram o dever de casa e estão prontas. O movimento de protesto contra as escolas particulares fechadas é legítimo e tem nosso apoio”

Luiz Henrique Mansur, Sinepe-RJ
(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *