sábado, 05 de dezembro de 2020

‘Tinha fé que Deus não ia me levar ao cemitério’, diz curado de Covid-19 em SG

Fabiano Pereira de Oliveira, de 37 anos, deixou a unidade agradecendo a Deus e aos profissionais da saúde. Foto: Ascom/SG

Depois de sete dias internado entre CTI e clínica médica com Covid-19, mais um paciente deixou o Hospital Municipal Luiz Palmier, em São Gonçalo, na manhã desta quinta-feira (7). O servidor público Fabiano Pereira de Oliveira, de 37 anos, deixou a unidade agradecendo a Deus e aos profissionais da saúde. Ele falou sobre o medo de morrer e a saudade do filho, Fabrício, de 10 anos.

“A fé em Deus foi muito grande porque no primeiro momento pensei que fosse morrer devido à falta de ar. Assim que cheguei no hospital fui levado direto para o CTI. É um desespero”, garante Fabiano.

O funcionário público recebeu o primeiro atendimento no Pronto Socorro Central, no bairro Zé Garoto. Com tosse seca, febre, dor no corpo e falta de ar, foi encaminhado ao Hospital Luiz Palmier, unidade equipada para funcionar como referência no atendimento a pacientes com suspeita ou contaminados pelo coronavírus.

Após ser atendido por outro médico, o paciente foi submetido a uma tomografia de pulmão, que mostrou a evolução do Covid-19. “Só pensei no meu filho. Porque ele é o que mais precisa de mim. Depois pensei nos meus irmãos. Eu tinha fé que Deus não ia me levar para o cemitério”, revela.

O Hospital Luiz Palmier tem hoje 22 pacientes internados na clínica médica e oito no Centro de Tratamento Intensivo (CTI).

Publicada às 17h

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *