Mobilidade em risco na frente da Pestalozzi

Responsáveis relataram dificuldade na travessia em frente à Associação. Foto: Patricia Vivas/ Colaboração

Pais e responsáveis de frequentadores da Associação Pestalozzi, na Região de Pendotiba, em Niterói, reivindicam um redutor de velocidade em frente a instituição, na Estrada Caetano Monteiro. De acordo com eles, os carros passam em alta velocidade na via e a travessia é perigosa, já que o local fica no meio de uma curva.

Um grupo de aproximadamente 15 mães relatou a dificuldade em atravessar a via com filhos deficientes – muitos com síndrome de down e autismo. As mães afirmam que a luta por qualquer tipo de solução para o problema é antiga, mas até o momento nada foi feito pela Prefeitura de Niterói.

“Frequento a Pestalozzi há 20 anos e desde que entrei estou ativa com outras mães para tentar resolver essa questão da travessia. Já ouvimos que não pode colocar um sinal de trânsito, pois é em uma curva e em uma descida, assim como já ouvimos que não há espaço suficiente para construir uma passarela, mas nunca ouvimos uma solução como a instalação de um radar ou de um quebra mola”, disse Maria Elizabeth Souza.

Uma das reclamantes, Eliane Pacheco, é mãe de uma criança com síndrome de down. Segundo ela, o tempo de travessia é de aproximadamente 30 minutos, já que o filho tem problema na coluna e em uma das pernas e não consegue correr. O mesmo acontece com Renata Gomes, que tem um irmão cadeirante que frequenta a Pestalozzi.

“Precisamos esperar a boa vontade de algum motorista para parar o carro para que a gente possa atravessar. Muitos não respeitam e até buzinam. O que eles esperam? Que eles corram?”, indagou Renata.

Em nota, a Pestalozzi de Niterói afirmou que reconhece o problema de travessia, principalmente por ter entre seus principais usuários pessoas com deficiência, seja ela física ou intelectual, o que dificulta ainda mais a travessia.

“Em várias oportunidades a Pestalozzi manteve diálogo com o poder público em busca de melhorias que ampliem a segurança dessa travessia. A colocação de sinalização vertical e horizontal é uma medida que pode ser facilmente tomada, alertando os motoristas de que se trata de um local com travessia de especial atenção. Há alguns anos, chegou-se a iniciar um processo de instalação de uma passarela de pedestres em frente à Pestalozzi, o que não foi a frente por questões técnicas por parte da Prefeitura”, informava a nota.

A Pestalozzi relatou ainda que solicita ao poder público maior atenção para esse caso e está a disposição para discutir iniciativas que possam ser tomadas, lembrando que se trata de uma iniciativa do poder público. 

A NitTrans informou que foi realizado reforço na sinalização vertical e horizontal no local. O Departamento de Engenharia de Trânsito, especializado em sinalização, normas de trânsito e segurança viária, estudou o local e constatou que, por se tratar de curva acentuada em aclive e declive, fica impossibilitada a instalação de radar, semáforo ou  redutores de velocidade; e que a melhor maneira de garantir a segurança viária no referido trecho é por meio de sinalização vertical e sinalização horizontal – trabalho já realizado. Também não é viável a instalação de passarela já que o espaço no entorno não é adequado para instalação de tal estrutura.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *