quinta, 22 de outubro de 2020

UFF sofre corte de verbas

uff, verba, mec
Universidade teve 30% de verbas cortadas. Foto: Arquivo

Após as recentes declarações do ministro da Educação Abraham Weintraub que as universidades UFBA, UFF e UNB tiveram 30% das suas dotações orçamentárias anuais bloqueadas , a Universidade Federal Fluminense (UFF) declarou que ainda não foi comunicada oficialmente da decisão, mas já identificou bloqueio de 30% dos recursos disponíveis para manutenção das atividades, como bolsas e auxílios a estudantes, energia, água, luz, obras de manutenção, pagamento de serviços terceirizados de limpeza, segurança, entre outros. Se confirmada, a medida produzirá consequências graves para o pleno funcionamento da UFF, alerta a universidade.

O MEC informou, ainda, que não envia comunicados a respeito do orçamento a nenhuma instituição, todos os dados são visualizados pelo SIAF. Nesse sentido, cada uma pode informar os impactos do bloqueio em sua gestão. A medida está em vigor desde a última semana.

Segundo o MEC, o Ministério estuda os bloqueios de forma que nenhum programa seja prejudicado e que os recursos sejam utilizados da forma mais eficaz. O Programa de Assistência Estudantil não sofreu impacto em seu orçamento.

A direção da UFF esclarece que a universidade é hoje uma das maiores, mais diversificadas e pujantes universidades do país, prezando pela excelência em todas as áreas do conhecimento. A qualidade é atestada pela pontuação máxima (5) no conceito institucional de avaliação do MEC e com maior número de alunos matriculados na graduação entre todas as universidades federais. Além disso, a UFF é a 16ª colocada no ranking RUF, entre quase 200 universidades.

A universidade informa que exerce com responsabilidade a proteção do patrimônio público e das pessoas, defendendo com firmeza o princípio constitucional da livre manifestação do pensamento, com tolerância e respeito à diversidade e à pluralidade.

Ainda de acordo com a UFF, todo o esforço institucional está sendo realizado para demonstrar ao Ministério da Educação a necessidade de reversão dos cortes anunciados.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *