segunda, 18 de janeiro de 2021

‘Vamos morrer de fome’, diz comerciante de Búzios em protesto

Moradores protestam conta o fechamento da cidade. Foto: via grupo Plantão Enfoco

Centenas de pessoas protestam contra o fechamento da cidade de Búzios, na Região dos Lagos, no Rio de Janeiro, nesta quinta-feira (17). O restabelecimento do Decreto Municipal 1.366/2020, de 21 de março, que encerra todas as medidas de flexibilização, causou descontentamento entre os moradores da região, principalmente nos comerciantes locais.

“Búzios não parou para as eleições e não vai parar para o trabalho”, declara uma comerciante de 23 anos que mora no local. De acordo com ela, o comércio ficou fechado durante sete meses e os moradores estavam apostando na alta temporada para recuperar o prejuízo.

“Covardia o que o juiz está fazendo. Amanhã [sexta] o fórum entra em recesso e aí só depois de fevereiro. Da primeira vez todos fomos pegos de surpresa. Se fechar hoje [quinta] todos vamos morrer de fome. O pouco de dinheiro que tínhamos, investimos para o verão. Estamos zerados e contando com a alta temporada”, contou a comerciante.

O protesto reuniu moradores e comerciantes da cidade. Vídeo: via grupo Plantão Enfoco.

Para outra comerciante, a situação seria menos assustadora se houvesse um planejamento.

“A situação foi horrível da primeira vez, fiz muitas dívidas, estava contando com o trabalho na praia. Agora, do nada mandam parar. Acho errado avisarem em cima da hora. Precisamos trabalhar”, desabafou.

O restabelecimento do decreto promove o fechamento das praias, quadras poliesportivas, estabelecimentos comerciais, hotéis, pousadas e restringe a entrada na cidade somente aos moradores. Além disso, restaurantes só estão autorizados a funcionar em sistema de delivery.

Procurado, o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro informou que “ainda não consta no processo o pedido de recurso do município”.

Em nota, a Prefeitura de Búzios informou, que nesta quinta-feira (17), já entrou com recurso para reverter a decisão judicial que suspende os efeitos do Decreto Municipal 1.533/2020, de 10 de dezembro de 2020, restabelecendo o Decreto Municipal 1.366, de 21 de março de 2020.

“A Prefeitura de Búzios se solidariza com toda a população e se compromete a ter uma resolução o mais breve possível”, informou a nota.

Atualizada às 18h

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *