quarta, 02 de dezembro de 2020

Veja onde está mais barato comprar imóveis em Niterói

Pesquisa revela Boa Viagem com imóveis até 7,8% mais baratos. Foto: Pedro Conforte

Comprar um imóvel residencial em Boa Viagem, Zona Sul de Niterói, ficou mais barato em setembro, se quando comparado ao mesmo período do ano passado. Isso porque houve desvalorização de 7,8%, revela a mais recente pesquisa divulgada esse mês pelo Sindicato da Habitação (Secovi) Rio.

Segundo indicadores de imóveis residenciais ofertados na cidade, no bairro – considerado um dos mais nobres do município – o valor do metro quadrado chegou a R$ 7.644 no último mês.

Economista da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), Maria Beatriz de Albuquerque David, justifica a queda ao afirmar que há um movimento geral de saída de pessoas dos grandes centros e faz uma análise da desvalorização dessas áreas.

“Haveria que se pensar numa valorização em geral no médio prazo: a taxa de juros está baixa e para empréstimo mais baixa ainda. Tem essa ideia de que [preços] imóveis residenciais vão cair. A crise econômica também impactou os aluguéis que são uma forma de renda. Ainda que a taxa esteja baixa, ninguém quer investir”, opina.

Tendo como limites Santa Rosa, Cubango e Fátima, o Pé Pequeno também desvalorizou em 5,9%. A área é uma das menores de Niterói e teve imóveis sendo ofertados para venda média de R$ 6.128, o metro quadrado, em setembro.

Já o presidente da Associação das Empresas de Mercado Imobiliário (Ademi-Niterói) e da empreendedora SPIN – Inovações Imobiliárias, Bruno Serpa Pinto apresenta uma visão mais otimista com relação ao sobe e desce nos valores de mercado e ainda aposta na zona sul.

“A amostragem é muito pequena com relação à cidade. A gente não entende que seja parâmetro de mercado. A tendência está concentrada na zona sul, alvo de novos lançamentos na cidade. Em Icaraí há quase R$ 300 milhões em lançamento”

Distante da Zona Sul, a área de Rio do Ouro, bairro municipal que se limita com Várzea das Moças, Engenho do Mato, Jacaré e Muriqui, apresentou queda de 4,9%. Segundo o Secovi, o m² por lá atingiu a média de R$ 2.756.

De acordo com o presidente da Ademi, essas são áreas de mercado secundário, ou seja, de revenda. “Não são áreas de objeto do mercado primário de lançamento”, justificando a desvalorização no Pé Pequeno e Rio do Ouro, por exemplo.

Também apresentaram queda nos preços, segundo o Secovi Rio, habitações localizadas em São Francisco (3,9%), Largo da Batalha (3,5%), Piratininga (3,2%), Engenhoca (2,3%), Vital Brazil (1,9%), Ingá (1,9%), Badu (1,8%), São Domingos (0,7%), Barreto (0,6%) e Gragoatá (0,3%).

Sobe

Camboinhas apresentou valorização de 3,5% na venda de imóveis residenciais. Foto: Pedro Conforte

Limítrofe com São Gonçalo, o bairro de Maria Paula, em Niterói, apresentou valorização de 11,6% em setembro. As propriedades imobiliárias tiveram cotação média de R$ 4.640 nas redondezas. Na Região Oceânica, houve expressiva valorização também em Camboinhas, com 3,5% no valor de venda de imóveis residenciais, atingindo uma média de R$ 7.305 o m².

“Lugar com mais espaço, que tenha menos aglomerações, teve claramente aumento das vendas”

Maria Beatriz, economista (Uerj)

Também apresentaram valorização as regiões do Centro (1,3%), Charitas (1,0%), Fátima (2,1%), Fonseca (0,6%), Icaraí (0,3%), Itacoatiara (1,0%), Itaipu (4,6%), Largo do Barradas (2,9%), Maceió (0,3%), Pendotiba (0,6%), São Lourenço (3,0%) e Santa Rosa (0,2%).

Comercial desce

pedestre, cicliesta, niterói, covid-19, coronavírus, pandemia
No Centro, a desvalorização foi de 7,7%. Foto: Pedro Conforte

O Centro de Niterói foi a região da cidade que encabeçou o cenário de desvalorização no contexto de vendas de imóveis comerciais em setembro deste ano: o valor do metro quadrado disponível para venda atingiu a média de R$ 5.934, representando uma queda de 7,7% na variação dos últimos 12 meses.

Na Zona Sul, São Francisco (7,2%) vem logo atrás com queda considerável nos preços de imóveis comerciais. De acordo com o Secovi Rio, o m² de propriedade comercial na região atingiu média de R$ 7.934 no último mês.

Em Santa Rosa a queda foi de 5,9%, enquanto Icaraí sofreu redução em 2,9%. O tombo parou apenas ao chegar no Ingá, que contrariou a expectativa de queda apresentando valorização de 5,3% na variação, com metro quadrado sendo ofertado a R$ 7.750.

Para o economista Mauro Rochlin, da Fundação Getúlio Vargas (FGV), há um clima de muita incerteza em termos de atividade econômica não só em Niterói, como em todo o país.

“Em fatores microeconômicos relativos ao setor imobiliário, a moradia mesmo é o que mais importa nesse momento. Exemplo: há forte tendência de home office e os imóveis comerciais desabaram os preços. Houve um esvaziamento desses espaços nos centros das grandes metrópoles, queda do metro quadrado e locação desses imóveis”, conclui.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

1 thought on “Veja onde está mais barato comprar imóveis em Niterói

  1. Comprar imóveis hoje em dia tá difícil.
    Ainda mais quem precisa se mudar para outra residência mais não tem condições para bancar grandes condomínios.
    Apesar que os corretores amam de olhar as casas antigas e dar um valor bem desvalorizante do que os proprietários realmente desejam
    Já que não as boas opções de vilas e casas pequenas acabam virando grande condominios de luxo.
    Aí quem não tem o dinheiro acaba construindo sua casinha em morro já que tem o sonho de viver sua vida digna.
    Niterói está se lotando de prédios e mais prédios.
    Depois reclamam de falta de urbanização e mobilidade.
    Mais aí a culpa é de quem ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *