quarta, 21 de outubro de 2020

Vereadores divergem sobre obras no hospital de Maricá

Ricardinho Netuno alerta para o tratamento de esgoto. Foto: Wallace Rosa

O Hospital Municipal Dr. Ernesto Che Guevara, que está sendo construído às margens da RJ-106, em Maricá, segue em obras e o prazo de entrega da unidade já virou motivo de divergência entre parlamentares da Câmara dos Vereadores.Segundo Ismael Breve (DEM), integrante da Comissão de Saúde de Câmara, a intenção da Prefeitura é inaugurar a unidade ainda neste primeiro semestre, mas segundo Ricardinho Netuno (PEN) as obras já deveriam ter sido entregues.

De acordo com Netuno as obras, que deveriam ter sido concluídas no final de 2017, atrasaram pois, segundo ele, não cumpriram exigências do Ministério da Saúde, como a questão do tratamento de esgoto. Outro problema, que ele afirmou ter sido relatado pela própria Prefeitura, é em relação à rede de energia elétrica do local, que não atenderia às demandas do hospital.

“Se o hospital fosse inaugurado todo o esgoto cairia na lagoa de São José do Imbassaí, é um esgoto muito poluente. Essa obra começou em 2012 e até agora só tem um buraco na frente para fazer o sumidouro! Quanto à iluminação, a prefeitura alega problema na rede, mas isso deveria ter sido visto no pré-projeto”, afirmou Netuno.

Previsão era que as obras acabassem no final de 2017. Foto: Wallace Rosa

Para o vereador Ismael, denúncias feitas e acatadas pelo Ministério Público contribuem para o atraso nas obras.

“Entendo que estamos aqui para fiscalizar e também que o Ministério Público deva investigar, mas é preciso ter alguma base para denunciar, pois isso atrasa a entrega”, disse.

Vereador da oposição, no entanto, Netuno informa que não há nenhuma intervenção do MP para parar as obras e que, portanto, a afirmação não teria fundamento.

A preocupação relatada pelo vereador Ismael é para o pós-obras: a administração da unidade.

“Caso a administração não seja bem feita, esse será um problema para a cidade ao invés de algo bom para a população”, finalizou.

No Ministério Público não consta intervenção requisitada à Justiça para qualquer paralisação das obras. O MP investiga denúncia sobre atraso, mas ainda se encontra em fase de análise.

A Enel, responsável pelo fornecimento de energia elétrica no município, informou que a Prefeitura de Maricá solicitou aumento de carga, que foi liberada para o Hospital Municipal Che Guevara no dia 21 de fevereiro.

A assessoria de comunicação da Prefeitura de Maricá não respondeu às demandas relacionadas ao andamento das obras e prazo para entrega.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *