quarta, 23 de setembro de 2020

Volta às aulas com trânsito complicado em Niterói e SG

Engarrafamento na RJ-104 desde a altura do Baldeador. Foto: Plantão Enfoco

A volta às aulas nesta segunda-feira (10), em toda a rede pública estadual de ensino, deixa as principais vias de Niterói com trânsito intenso já nas primeiras horas da manhã. O fluxo de veículos é grande na RJ-104, desde a altura do bairro Baldeador, informou a Niterói Transportes e Trânsito (NitTrans).

A Alameda São Boaventura, no Fonseca, Zona Norte de Niterói, também apresenta trânsito lento e retenção em direção ao Centro. De acordo com serviços de geolocalização, os motoristas levavam cerca de 40 minutos para atravessar todo o trecho até às 7h40.

Em Icaraí, na zona sul, os motoristas que trafegam pela Avenida Jornalista Alberto Francisco Torres, na Praia de Icaraí, também precisam de paciência. O fluxo é intenso no sentido São Francisco, desde a altura da Praia das Flechas. Ruas vizinhas como Álvares de Azevedo, Lopes Trovão, Miguel de Frias também apresentam lentidão.

No Centro, as avenidas Marquês do Paraná e Jansen de Melo tinham fluxo intenso até às 8h.

São Gonçalo

No Centro de São Gonçalo, as ruas Doutor Feliciano Sodré e Doutor Nilo Peçanha têm fluxo intenso.

Já na BR-101, o trânsito é intenso desde a altura do Gradim (KM 315), em São Gonçalo, na pista sentido Niterói. A lentidão se arrasta até à Avenida do Contorno (KM 322), na faixa para quem segue no sentido Rio de Janeiro – devido ao acesso à Ponte, informou a Arteris Fluminense, concessionária que administra a rodovia.

Volta às aulas na rede estadual

De acordo com a Secretaria de Estado de Educação (Seeduc), neste ano são cerca de 700 mil alunos matriculados em todo o estado. Para evitar a carência de profissionais que a atual gestão encontrou no início de 2019, em que mais de 101 mil aulas deixavam de ser ofertadas todos os meses, a Seeduc cadastrou mais de 13 mil professores com carga horária disponível para receber Gratificações por Lotação Prioritária (GLPs).

Para isso, estão sendo investidos R$ 140 milhões com o objetivo de que os estudantes tenham a grade de professores completa em todas as escolas. No entanto, por conta da dimensão da rede estadual e características de cada região e disciplinas, estima-se que serão necessárias as três primeiras semanas de aula para a alocação dos docentes cadastrados e selecionados para receber GLPs.

Desta forma, a Seeduc pretende suprir as carências existentes com os professores da própria rede. Além disso, a Secretaria de Estado de Educação também contratará temporariamente docentes que não são da rede para ajudar a eliminar qualquer possível falta de profissionais.

A partir deste ano, a Seeduc também possibilitará que coordenadores pedagógicos e orientadores educacionais recebam GLPs e ampliem a carga horária para ministrar aulas em suas disciplinas de ingresso ou habilitação.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *