De vilões a aliados – o escapismo e a utilidade dos jogos na pandemia

Game possibilita uma vida paralela. Arte: Divulgação

Redes sociais, jogos de videogames e a internet em geral sempre foram tratados com certa vilania, como artifícios criados pela ciência para ajudar na comunicação, mas que foram corrompidos com o tempo, fazendo com que fossem o principal instrumento de separação humana, esfriando relações e as definindo pela tela do computador ou celular. Mas, na atual situação, tudo isso mudou.

Com a pandemia da Covid-19 e a quarentena estipulada para evitar que o número de contágios aumentem exponencialmente, a internet se tornou uma das mais fortes aliadas, seja no âmbito empresarial, educacional ou pessoal, fazendo com que as pessoas utilizem bem mais as videochamadas, e-mails e quaisquer outros aplicativos que permitem comunicação com empregados, colegas de trabalho e familiares.

Com os videogames não foi diferente. Logo no início da pandemia, em 20 de março, foi lançado para Nintendo Switch o jogo Animal Crossing: New Horizons, que consiste basicamente em você criar uma ilha e cuidar dela para que animaizinhos fofos possam viver da forma mais confortável possível. O game parece ter uma premissa um tanto boba e até relembra a Colheita Feliz do falecido Orkut, mas em meio a pandemia, sem poder sair de casa e nem encontrar amigos, ter a possibilidade de passear por uma ilha, regar flores, plantar árvores, decorar ela ao seu estilo e ainda poder visitar a dos seus amigos, se tornou algo extremamente atraente.

Tais fatores fizeram com que o jogo, desde seu lançamento, até a presente data, fosse líder de vendas, incentivando cada vez mais pessoas a comprarem e viverem uma “vida paralela” e menos estressante do que a real, além de permitir momentos especiais, como comemorações de aniversário e pedidos de casamento em meio a pandemia, usando toda criatividade que os jogadores poderiam ter.

Usuário pode até ser pedido em casamento no jogo. Arte: Divulgação

Ainda não sabemos como será o mundo pós-coronavírus, mas já podemos ter um pequeno vislumbre de que os jogos e a internet não serão mais uma barreira que separa as pessoas e mina relacionamentos, já que foram justamente eles que nos ajudaram nesse período tão caótico.

Jonny Salles é professor formado em Letras (Português – Literaturas) pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) e aficionado por mundo nerd que acompanha, debate e vivencia, seja numa roda de amigos ou pelo seu canal Geek Barba

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *