quarta, 20 de janeiro de 2021

Brasil é segundo país no mundo que mais pratica cyberbullying

Quem acompanha as mídias sociais deve ter se deparado com o escândalo envolvendo youtubers e grandes  influenciadores digitais. Pois bem, a internet tem sendo alvo de várias exposições, algumas esdrúxulas, desnecessárias e que ferem a humanidade. O estudo realizado pelo Instituto Ipsos mostra uma triste realidade em relação ao cyberbullying no Brasil.

O que é cyberbullying?

Assédio virtual (do inglês cyberbullying) é uma prática que envolve o uso de tecnologias de informação e comunicação para dar apoio a comportamentos deliberados, repetidos e hostis praticados por um indivíduo ou grupo com a intenção de prejudicar o outro. Tem se tornado cada vez mais comum na sociedade, especialmente entre os jovens. Atualmente, legislações e campanhas de sensibilização têm surgido para combatê-lo.”

O nosso país aparece em segundo lugar entre os países que mais comentem cyberbullying no mundo. Triste, porém, verdadeiro.

A prática do cyberbullying pode ser vista em vários ambientes da rede, seja através de redes sociais, como Facebook, Twitter, Instagram, em grupos fechados em mensageiros, em mensagens pessoais e ainda em salas de games, em que muitos jogadores são inferiorizados por serem menos experientes.

Para completar, mulheres também costumam ser alvos constantes de assédio moral e sexual, principalmente quando se encontram em ambientes predominante masculinos, mesmo que seja no mundo virtual.

Nas redes sociais, a utilização de memes ofensivos de outras pessoas sem a autorização prévia. A prática, claro, pode causar severos danos psicológicos.

Ranking brasileiro

De acordo com levantamento realizado no Brasil com mais de 20 mil pessoas entre os dias 23 de março e 6 de abril revelou  que mais de 29% dos pais ou responsáveis possuem conhecimento de que seus filhos já foram alvo de algum tipo de agressão através das mídias sociais. A Índia possui mais de 37% de pais sabedores desse tipo de violência.

Realmente, um resultado assustador. Tudo isso revela o quanto as pessoas são alvos de crimes desse tipo através da internet. O público mais jovem, muito provavelmente, é que mais com esse assédio, já quem em muitos casos desconhece os seus direitos e costuma não contar para os pais os responsáveis sobre o fato.

Fonte:  Instituto Ipsos

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *