sexta, 18 de setembro de 2020

Ensaio da Viradouro no Centro de Niterói encanta foliões

A Unidos do Viradouro fez da Avenida Amaral Peixoto, no Centro de Niterói, um verdadeiro sambódromo neste domingo (19), durante mais uma etapa de ensaios para o carnaval 2020. O espetáculo conquistou os foliões, que registraram a atuação da vermelho e branco em vídeos, viralizando nas redes sociais.

“Vamos buscar esse título, a escola está fazendo uma grande preparação! Com um potencial incrível para a disputa do Especial! Falta pouco e que venha o título!”, comentou Zelia Maria, em uma rede social.

“Foi um ensaio com muita garra e mostra que Viradouro vai brigar pelo título com tudo! Toda a escola está de parabéns pelo ensaio. O brilho no olhar voltou”, disse Yedda Santos, em uma publicação na página da Viradouro.

O desfile oficial da agremiação niteroiense será o segundo a circular na Sapucaí, na noite de 23 de fevereiro (domingo). Neste ano, a passarela do samba será invadida pelo som do enredo “Viradouro de alma lavada”, dos carnavalescos Marcus Ferreira e Tarcisio Zanon, inspirado nos cânticos seculares e na memória afetiva das Ganhadeiras de Itapuã.

Confirmadas

A apresentadora e dançarina Lore Improta já reassumiu o posto como segunda musa da escola, dividindo o título com a também dançarina Luana Bandeira, assistente de palco do Caldeirão do Huck, que vai para o terceiro desfile consecutivo na atual vice-campeã do Carnaval carioca.

Convidada a desfilar na agremiação, a cantora e compositora baiana Margareth Menezes será um dos destaques na quarta alegoria, que vai representar o Samba de Mar Aberto, denominação que se refere à forma como o ritmo é tocado e cantado no litoral de Itapuã.

Leia a letra do samba, cantado pela Unidos do Viradouro, no vídeo acima:

Ora yê yê o oxum! Seu dourado tem axé

Fiz o meu quilombo no Abaeté

Quem lava a alma desta gente veste ouro

É Viradouro! É Viradouro!

Levanta preta que o Sol tá na janela

Leva a gamela pro xaréu do pescador

A alforria se conquista com o ganho

E o balaio é do tamanho do suor do seu amor

Mainha, esses velhos areais

Onde nossos ancestrais

Sempre acordam a manhã

Pra luta

Sentem cheiro de angelim

E a doçura de quindim

Na bica de Itapuã

Camará ganhou a cidade

O erê herdou liberdade

Canto das Marias, baixa do dendê

Chama a freguesia pro batuquejê

São elas dos anjos e das marés

Caboclas do balangandã, ô iaiá

Ciranda de roda na beira do mar

Aguadeira que benze e vai pro terreiro sambar

Ganhadeira de fé!

É a voz da mulher

Xangô ilumina a caminhada

A falange está formada

Um coral cheio de amor

Kaô! O axé vem da Bahia

Esta negra cantoria

Que Maria ensinou

Oh mãe ensaboa

Mãe ensaboa pra depois quarar

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *