domingo, 17 de janeiro de 2021

Ludmilla deixa as redes após onda de ataques racistas

Cantora desativou suas contas nas redes sociais após ataques racistas e homofobicos. Foto: Divulgação

A cantora Ludmilla desativou suas contas nas redes sociais nesta sexta-feira (19). A medida acontece, segundo a assessoria da famosa, após uma onda de ataques racistas.

De acordo com assessoria da cantora, durante o dia, Ludmilla já havia reclamado dos recorrentes ataques que estava sofrendo chegando até a responder algumas mensagens. Ainda segundo a representação da cantora, não apenas de cunho racista, mas Ludmilla também é vitima de outros preconceitos.

O fechamento das contas nas redes sociais levou internautas a especular se a atitude não seria uma estratégia de marketing para alavancar o novo projeto de Ludmilla, mas a informação foi desmentida:

‘Ressaltamos que, ao contrário de qualquer especulação, tal ato não faz parte de nenhuma estratégia de marketing e é simplesmente uma consequência de seu cansaço diante do ódio destilado nas redes sociais’

Ainda de acordo com a assessoria da cantora, as mensagens de cunho racistas e homofóbicas serão encaminhadas à Justiça.

Ludmilla viajou recentemente para as Ilhas Maldivas em férias com a esposa Brunna Gonçalves.

Pelas redes sociais milhares de mensagens foram publicadas em apoio a cantora pelo Twitter com a frase ‘Estamos com você Ludmilla’

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

1 thought on “Ludmilla deixa as redes após onda de ataques racistas

  1. Excelente artigo. Em geral, o crime de injúria está associado ao uso de palavras depreciativas referentes à raça ou cor com a intenção de ofender a honra da vítima. Já o crime de racismo, previsto na Lei nº 7.716/1989, implica em conduta discriminatória dirigida a um determinado grupo ou coletividade e, geralmente, refere-se a crimes mais amplos. Nesses casos, cabe ao Ministério Público a legitimidade para processar o ofensor. A lei enquadra uma série de situações como crime de racismo, por exemplo, recusar ou impedir acesso a estabelecimento comercial, impedir o acesso às entradas sociais em edifícios públicos ou residenciais e elevadores ou às escadas de acesso, negar ou obstar emprego em empresa privada, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *