sexta, 18 de setembro de 2020

Prodígio do funk, o talento do niteroiense MC Byh

Mc Byh traz influências dos funks da antiga na letra. Foto: Ramon Ribeiro
'Se você é criança e quer se divertir, vem no bonde do Mc Byh'

O convite para uma infância saudável vem logo no primeiro verso da nova música de um menino, de apenas 10 anos, morador da comunidade da Coréia, no Fonseca, Zona Norte de Niterói. Influenciado pelo ritmo bem marcado dos funks da antiga, herança dos pais, Fábio Marques da Silva de Souza virou referência na localidade onde mora e faz sucesso na internet.

O clipe da canção, gravado em uma quadra de terra batida no interior da comunidade, foi publicado no dia 7 de julho no Youtube e já conta com mais de 1,2 mil visualizações. As imagens mostram um dia comum do cantor mirim, com a participação de amigos e dos dois irmãos, o mais velho de 14 anos e a caçula de 4. É ela, inclusive, a responsável pelo apelido.

“A gente brincava em casa de ser o bicho com ela, mas ela não conseguia falar a palavra completa e ficava me chamando de ‘bi’. Então acabou ficando e todo mundo agora me chama assim”, contou o funkeiro.

De acordo com o pai, o vigilante Fábio de Souza, conhecido como ‘Fabinho Pan Pan’, de 41 anos, tudo começou em 2018, quando ele e a esposa, mãe do Mc Byh, perceberam a facilidade com que o menino decorava as letras. Aos finais de semana, a família tem costume de colocar uma playlist recheada de grandes nomes do funk das antigas.

“Ele e o irmão escreveram um verso e mostraram para a gente. Eu já tive uma história com o funk lá atrás, em 1996, então decidi escrever o resto da letra para eles. Apresentamos em um evento na comunidade e acabou surgindo a possibilidade de gravar”

Byh e o pai, Fabinho Pan Pan. Foto: Ramon Ribeiro

Se ligue na mensagem do Mc Byh: joelho ralado também tem que existir

O convite para a produção da música veio do articulador artístico Luiz Alberto da Silva, conhecido como ‘Caniball DJ o Mago’, de 37 anos. Ele foi contratado para produzir uma edição do ‘Baile da Antiga’ na comunidade e contou que ficou encantado com o talento do menino.

“Fui contratado da diretoria para fazer o baile e vi que o Mc Byh estava no panfleto do evento. Mas eu nunca tinha visto ele cantar, um menininho de 8 anos, na época. Fiquei encantado, chamei o pai dele e pedi para levar ele no estúdio porque a gente tinha que fazer alguma coisa. Trabalhamos a música e o resultado foi ótimo, hoje temos várias rádios tocando porque é um funk infantil, inocente”, disse.

Sonhos

O funk como ferramenta de transformação é um dos sonhos do Mc Byh e da família. Estudante do 5º ano do ensino fundamental, o funkeiro mirim, quando questionado sobre as principais referências musicais dentro do gênero, é enfático: Cidinho e Doca. Apesar da dupla ter feito sucesso quase duas décadas antes do menino nascer, o refrão do Rap da Felicidade (1994) é que norteia o início de carreira do niteroiense.

Eu só quero é ser feliz/ Andar tranquilamente na favela onde eu nasci/ E poder me orgulhar/ E ter a consciência que o pobre tem seu lugar

Rap da Felicidade

“Eu gosto deles porque é muito diferente a letra. Eu posso cantar porque sei que é um funk para todas as idades. É isso que eu quero fazer. Eu gosto de cantar, quero ser um mc (cantor de funk) famoso e poder ajudar a minha família”, declarou o menino.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *