domingo, 17 de janeiro de 2021

A 200 dias do início, Olimpíadas ainda têm desafios pendentes

Olimpíadas terão desafios por conta da Covid. Foto: Divulgação

Faltam 200 dias para as Olimpíadas de Tóquio. Originalmente marcada para 2020, a maior competição esportiva do mundo foi adiada por conta da pandemia do novo coronavírus. No entanto, mesmo com a nova data, a organização do evento ainda tem sérios desafios pela frente.

Isto porque, embora as vacinas tenham avançado e já estejam sendo aplicadas em alguns países, ainda não se sabem seus reflexos e nem quanto tempo a imunização levará para deixar o convívio mais seguro. Além disso, muitos países participantes ainda não têm sequer previsão de vacinação.

A parte estrutural, como de praxe pela disciplina impressionante dos japoneses, ficou pronta até antes da hora. Mas foram justamente as consequências da Covid-19 que assolaram o país mesmo diante de toda a organização feita desde 2013, quando a capital japonesa foi eleita sede do megaevento.

O tempo segue sendo o maior inimigo. Com a cerimônia de abertura programada para 23 de julho, a organização do evento luta para adequar o processo às exigências impostas pela pandemia. Imagina-se que o evento como um todo seja adaptado ao “novo normal”, bem diferente do tradicional.

O COI (Comitê Olímpico Internacional) já se movimenta visando conseguir criar uma “bolha” e vacinar os cerca de 11 mil atletas envolvidos na competição. No entanto, existe a possibilidade de o evento ser realizado mesmo sem as vacinas, o que exigiria ainda mais cuidados.

Com a “segunda onda” disparando o número de infectados novamente, será necessário um processo inteligente e muito bem detalhado em dois momentos importantes: a entrada de estrangeiros no país e a contratação de pessoal para a organização.

Logicamente, outra parte que pode ser bastante afetada é um dos pontos mais especiais de uma Olimpíada: as arquibancadas. A presença de torcida ainda está ameaçada e pode ser severamente limitada caso a imunização não avance até lá.

No total, todo o processo de adiamento, adaptação e preparação deve encarecer as Olimpíadas de Tóquio em cerca de 3 bilhões de dólares (cerca de R$ 15 bilhões) – sendo R$ 5 bilhões apenas para medidas contra a Covid-19. Assim, o orçamento total já está na casa dos 13 bilhões de dólares (mais de R$ 65 bilhões).

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *