quinta, 26 de novembro de 2020

Flamengo vence o Athletico-PR e sobe na tabela do Brasileirão

Bruno Henrique fez um dos três gols na vitória do Flamengo. Foto: Alexandre Vidal/Flamengo

Crise? Pressão? O momento agora é outro. E é bem melhor. O Flamengo superou a pior fase da temporada – goleada sofrida na Libertadores e surto de Covid-19 – e se uniu, cresceu e vem mostrando sua força. A vítima da vez foi o Athletico-PR, pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro. A equipe carioca deslanchou no segundo tempo e venceu por 3 a 1, neste domingo (4), no Maracanã.

É mais um resultado simbólico e importante para o Flamengo. Logo após a garantir classificação para as oitavas de final da Libertadores, o Rubro-Negro vence pelo Brasileiro, continua embalado e com mais opções – mais jogadores recuperados da Covid-19 retornaram. Isso sem falar na garotada da base, que, no momento difícil, mostrou talento e que pode ser útil.

O desafio do Flamengo agora é outro: superar os desfalques em virtude das Eliminatórias. Isla, Rodrigo Caio, Éverton Ribeiro e Arrascaeta vão defender suas respectivas seleções e vão ficar fora do time.

Com a vitória, o Flamengo pulou para 21 pontos e subiu na tabela do Brasileiro. Agora, é o quarto colocado (depende ainda do fim da rodada). O Athletico continua com 14 pontos, na 11ª posição.

Na próxima rodada, o Flamengo tem mais um compromisso em casa: enfrenta o Sport, no Maracanã, quarta-feira, às 19h15. O Athletico volta a campo na quinta-feira, quando recebe o Ceará, às 19h, na Arena da Baixada.

Sem Domènec Torrent, que ainda se recupera da Covid-19, e Jordi Guerrero, auxiliar que testou positivo neste sábado (3), o Flamengo foi comandado por Jordi Gris, outro auxiliar de Dome. E o Rubro-Negro foi escalado com mudanças: Isla, Filipe Luís, Willian Arão, Bruno Henrique e Vitinho voltaram ao time titular. Isla e Bruno Henrique já haviam entrado em campo no último compromisso pela Libertadores, enquanto os outros três voltaram a atuar neste domingo, depois do tempo parado em função da Covid-19. Já Thiago Maia foi preservado.

Do lado do Athletico, o técnico Eduardo Barros optou por rodar bem o elenco em função da sequência de jogos na temporada e mandou a campo o time reserva. Ele apostou na experiência de Lucho González e formou o ataque com Carlos Eduardo e Renato Kayzer.

Flamengo sofre no primeiro tempo

Athletico precisou a saída de bola do Flamengo. Foto: Alexandre Vidal/Flamengo

O jogo começou logo com bola na trave. Antes de completar o primeiro minuto, Hugo Souza errou passe e deu presente para Alvarado, que acertou o poste do Flamengo. O clube carioca, por sinal, encontrava dificuldade para escapar da sufocante marcação do rival. O Athletico pressionava a saída de bola do Fla e logo recuperava a posse. O jogo, então, ficou franco.

O Athletico conseguiu contra-atacar e quase abriu o placar. Abner ficou com a sobra, mas parou em Hugo Souza, que fez importante defesa. O contragolpe do Flamengo por pouco não resultou em gol. Arrascaeta lançou Bruno Henrique em velocidade. O atacante avançou e achou Pedro. O chute do centroavante, porém, foi em cima de Santos.

Aos 22 minutos, Lucho lançou Carlos Eduardo em velocidade. Gabriel Noga derrubou o atacante. O árbitro Rodrigo Dalonso Ferreira marcou pênalti, mas o VAR, comandado por Elmo Alves Resende Cunha, entrou em ação e recomentou a revisão. O lance aconteceu fora da área. Ele, então, anulou o pênalti e marcou falta na entrada da área. Kayzer cobrou e Hugo mandou para escanteio.

O Flamengo buscava explorar a velocidade de Bruno Henrique pela esquerda. O atacante tabelou com Pedro e foi derrubado na entrada da área. Na cobrança, Arrascaeta obrigou Santos a defender. O movimentado primeiro tempo, com o Athletico superior, terminou sem gols.

Flamengo voa no segundo tempo

O técnico Jordi Gris fez mudança para o retorno ao segundo tempo. Éverton Ribeiro, recuperado de Covid-19 e que voltou a atuar neste domingo, entrou na vaga de Vitinho. E o camisa 7 quase abriu o placar no primeiro minuto. Em contra-ataque, ele recebeu de Arrascaeta e chutou da entrada da área. Santos voou e fez uma defesa difícil, salvando o time paranaense.

O atacante Pedro abriu o placar para o Flamengo. Foto: Alexandre Vidal/Flamengo

Melhor em campo, o Flamengo abriu o placar aos dez minutos. Pedro ganhou no corpo, após Natan cabecear para o alto, girou e chutou no canto: 1 a 0. Um gol típico de centroavante. Foi o quarto jogo seguido em que ele balança a rede. O Fla, então, partiu para cima. Dois minutos depois, Bruno Henrique cruzou e a bola bateu na mão de Léo Gomes. Pênalti. O próprio atacante cobrou e não deu chances a Santos: 2 a 0.

O Athletico-PR conseguiu reagir. Aos 21, após cobrança de falta, Kayzer surgiu diminuiu para 2 a 1. O Flamengo respondeu com Gerson, que, após passe de Pedro, quase encobriu Santos com um toque de cabeça.

O terceiro gol aconteceu aos 31 minutos. Isla cruzou para Arrascaeta, que rolou para Éverton Ribeiro. O chute desviou e entrou: 3 a 1.

Gris aproveitou e fez três alterações. Lançou Michael, Lincoln e Diego. Saíram Bruno Henrique, Pedro e Arrascaeta. O placar já estava resolvido. Vitória do Flamengo. O momento agora é bem diferente.

(Gazeta Esportiva)

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *