terça, 02 de março de 2021

Gatito detona médicos e abre o jogo sobre situação do Botafogo

Gatito reagiu aos comentários de Montenegro. Foto: Vitor Silva/BFR

Vítima de ataques direcionados do ex-dirigente do Botafogo, Carlos Augusto Montenegro, o goleiro Gatito Fernández resolveu responder às críticas nesta quarta-feira (10).

Após Montenegro atacá-lo, acusando-o de corpo mole e de querer sair do Alvinegro, o paraguaio teve seu direito de resposta. E não pegou leve. Segundo ele, os maiores responsáveis pela sua ausência estão no departamento médico.

–  O pessoal da parte médica poderia ter mais cuidado comigo, falando que eu não poderia ir e não poderia jogar. Falaram que eram somente 15 dias. Hoje estou usando muletas, evitando carga no joelho e fazendo só fisioterapia. Pode ter sido um erro meu querer ter ido para a seleção, mas não sou médico, não sabia a gravidade da lesão. Jogador sempre quer jogar, assim como já joguei muitas vezes machucados em clubes, como no Botafogo. Se soubesse da lesão e que poderia prejudicar minha carreira, não me arriscaria, porque poderia perder mais jogos pela frente – frisou.

Gatito reafirmou seu desejo de permanecer em General Severiano e, inclusive, estipulou metas de jogos como um de seus maiores desejos no clube.

– Eu fico no Botafogo. Meu contrato é até o final deste ano. Falam-se tantas coisas, que se caísse para Série B eu sairia, coisa que nunca falei. Gostaria bastante de poder superar esse números e me tornar o estrangeiro com mais jogos (ele tem 150, contra 180 de Fischer). Quero fazer parte dessa reconstrução do clube – afirmou.

Gatito também alegou se sentir perseguido por Montenegro, já que não foi a primeira vez que o arqueiro foi vítima de comentários diretos do dirigente.

– Senti-me bastante agredido. Surpreendeu-me pela gravidade da palavra que ele usou, covarde. Não é a primeira vez que me ataca, vai fazer cinco anos que estou no clube e é a terceira vez que me ataca.

O paraguaio de 32 anos tem contrato com o Botafogo até o fim de 2021. Ainda não há conversas pela renovação. Em seu último ano do vínculo assinado em 2018, ele poderá negociar um pré-contrato com qualquer equipe a partir do meio da temporada. Internamente, há pressão para vendê-lo, a fim de não perdê-lo sem lucrar financeiramente.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *