domingo, 25 de outubro de 2020

Justiça paraguaia recusa transferência de Ronaldinho para prisão domiciliar

Ronaldinho e Assis tiveram passaportes e cédulas de identidade falsas apreendidos pela Justiça paraguaia, Foto: Norberto Duarte/ Divulgação

O Ministério Público do Paraguai negou o pedido de transferência da defesa do ex-jogador Ronaldinho Gaúcho para prisão domiciliar.

De acordo com o promotor, Marcelo Pecci, o brasileiro ofereceu a casa em que ele ficaria preso como garantia, no valor de 798 mil dólares (cerca de R$3,73 milhões).

A localização do imóvel segue em sigilo. O oficial disse, em coletiva de imprensa, que a justiça considerou o valor “insuficiente”, dado os valores que Ronaldinho ganhou durante sua carreira.

“A lei não diferencia pessoas famosas de pessoas não famosas. Aqui apenas a lei e o direito devem ser aplicados”, afirmou o Marcelo Pecci.

Ronaldinho e o irmão, Roberto de Assis Moreira, não participaram da audiência. Os dois seguirão no presídio de segurança máxima em Assunção, capital paraguaia, onde já estão há quatro noites.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *