quarta, 12 de maio de 2021

Sem fantasma! No sufoco, líder Flamengo vence a LDU em Quito

Gabigol abriu a vitória logo aos dois minutos. Foto: Alexandre Vidal/CRF

O Flamengo visitou na noite desta terça-feira (4) a altitude de Quito, no Equador, e ignorou o fantasma de Casa Blanca para derrotar a LDU por 3 a 2 gols marcados por Gabriel Barbosa (2) e Bruno Henrique. Com o triunfo fora de casa, o Rubro-Negro se isolou na liderança do Grupo G da Copa Libertadores, com nove pontos em três jogos.

O triunfo veio com muito sofrimento. Em dois tempos totalmente distintos, o Fla foi para o intervalo com 2 a 0 no placar e viu a LDU empatar em 15 minutos. Após muita pressão dos donos da casa, o Rubro-Negro encontrou um pênalti para chegar à terceira vitória seguida na fase de grupos do torneio continental.

Essa foi a primeira vitória da historia do clube em jogos oficiais disputados no Estádio Rodrigo Paz Delgado, localizado a 2,8 mil metros acima do nível do mar. Nos dois únicos confrontos anteriores, uma derrota para a própria LDU, por 2 a 1, na Libertadores 2019, e a goleada sofrida diante do Independiente del Valle, por 5 a 0, na Libertadores 2020.

A equipe de Rogério Ceni começou avassaladora e abriu o placar logo aos dois minutos. Em linda enfiada de bola de Éverton Ribeiro, Gabigol saiu cara a cara com Gabbarini e só deslocou o goleiro, colocando no canto e saindo para o abraço.

A Liga Deportiva pouco ameaçou a meta de Diego Alves durante o primeiro tempo. No lance de maior perigo, aos 12, Zunino ficou com a sobra do escanteio e empurrou para a rede, mas estava em posição de impedimento e sequer comemorou.

O Fla envolvia o adversário com facilidade e criou boas chances com Gabi, aos 21, Éverton Ribeiro, aos 23, e Bruno Henrique, aos 25. Na sequência, aos 29, não deu para o goleiro fazer milagre: após boa troca de passes, Bruno Henrique pegou de primeira, de fora da área, e acertou um lindo chute diagonal no ângulo, sem chances de defesa para Gabbarini.

Com o domínio absoluto da posse de bola, o Rubro-Negro conseguia poupar fôlego – fator importantíssimo para quem joga na altitude. Quem parecia assombrado pelo fantasma local era o time da casa, que não viu a cor da bola durante toda a primeira etapa. A desvantagem de 2 a 0 no placar foi até pouca diante da disparidade entre as duas equipes.

Segundo tempo

Os mandantes voltaram mais ligados e quase diminuíram a diferença logo aos dois minutos. Amarilla, que entrou no intervalo, recebeu cruzamento na área, dominou e chutou com muita força, tirando tinta da trave do goleiro Hugo – que substituiu Diego Alves, que sentiu um desconforto na coxa e não voltou do vestiário.

Na sequência, aos 5, um susto para os flamenguistas. Alcíva cruzou da esquerda e Martínez Borja, ex-atacante do Flamengo, desviou de cabeça no primeiro pau para fazer o primeiro dos mandantes. O Urubu sentiu o gol e acabou dando espaços para investidas do adversário. Na sequência, aos 8, Amarilla foi lançado em profundidade e quase empatou a partida, mas Bruno Viana chegou a tempo de bloquear a finalização.

O jogo ficou mais franco e aberto. Arrascaeta teve boa chance aos 9, mas chutou para fora. Em seguida, Borja recebeu na direita, cortou para dentro e bateu cruzado, mas Bruno Viana afastou novamente. Mais ofensivo, o time da LDU não permitia mais tantos espaços e pressionava forte para roubar a bola e buscar o empate.

Aos 12, em virada de jogo perigosa de Perlaza, a bola passou por todo mundo e chegou a Arce, que chutou forte. Com desvio à queima roupa, a bola passou muito perto do gol, saindo em escanteio. Logo depois, em nova cobrança de escanteio, aos 15, Amarilla pegou mascado, meio sem jeito, e a bola foi lentamente para o fundo da rede.

Em uma inversão total de papéis, agora a LDU que dominava o jogo por completo. Rondando a área com facilidade, o time da casa chegava com muito perigo, principalmente pela bola aérea. O Flamengo, atortoado, errava passes bobos e não conseguia recuperar a autoridade demonstrada no primeiro tempo.

O jogo assentou um pouco nos 20 minutos finais. A LDU diminuiu o ímpeto depois da blitz inicial, enquanto o Flamengo ensaiou uma tímida reação. Em dois lances consecutivos, o Rubro-Negro sofreu duas faltas perigosas na entrada da área. Na primeira, Arrascaeta cobrou nas mãos do goleiro; na segunda, Diego bateu por cima da meta.

Quando o empate já parecia o resultado mais provável, aos 36, Filipe Luís recuperou bola na intermediária e enfiou em profundidade para Arrascaeta – que disputou o lance com Corozo e acabou derrubado. Na cobrança, Gabigol recolocou os visitantes à frente do placar e chegou ao seu 16º gol pelo Flamengo em Libertadores, igualando o ídolo Zico.

A vitória deixa o clube carioca em situação bastante confortável na classificação. Com 100% de aproveitamento, o Fla abriu seis pontos de vantagem para o Vélez, terceiro colocado, a três rodadas do fim. Na quarta rodada, marcada para a próxima terça-feira (11), o Rubro-Negro vai ao Estádio Municipal Nicolás Chahuán Nazar, no Chile, para encarar o lanterninha Unión la Calera.

Em caso de novo triunfo, o Flamengo garante a classificação antecipada às oitavas de final – desde que o Vélez perca o seu duelo contra a própria LDU, na quinta-feira (13), no José Amalfitani, na Argentina.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');