segunda, 17 de maio de 2021

Agressores de mulheres devem usar tornozeleira eletrônica

O agressor deverá ser orientado sobre a utilização do equipamento. Foto: Governo do Estado/Arquivo

O governador em exercício do estado do Rio, Cláudio Castro, sancionou, na última sexta-feira (16), a Lei nº 9245, que dispõe sobre o monitoramento eletrônico do agressor por violência doméstica e familiar contra a mulher no âmbito do estado do Rio.

Segundo o decreto publicado no Diário Oficial do estado, o monitoramento deve ser feito enquanto durar a medida protetiva e/ou cautelar. Ele pode acontecer através de tornozeleiras, bracelete ou chip, conforme viabilidade técnica e disponibilidade de equipamentos e critério do juízo responsável pela execução de tal medida, visando fiscalização imediata e efetiva das medidas protetivas de urgência.

O agressor deverá ser orientado sobre a utilização do equipamento, assim como os critérios e procedimentos de fiscalização da medida de afastamento. Enquanto a mulher vítima de violência doméstica e familiar deverá ser instruída sobre os procedimentos de fiscalização da medida de afastamento.

O acusado que estiver utilizando equipamento eletrônico de monitoramento da presente lei no cumprimento da medida cautelar ou de afastamento terá preferência na participação dos serviços de reabilitação.

O juiz que determinar o monitoramento eletrônico poderá levar em consideração algumas condições, como o grau de periculosidade do ofensor, os antecedentes criminais do agressor e a reincidência em violência doméstica.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');