sábado, 15 de maio de 2021

Buscas por jovem que sumiu ao sair de casa em Niterói

Parentes creditam a situação ao término do noivado, que ocorreu em meio a embaraços familiares. Foto: Arquivo Pessoal

A família da jovem desaparecida Kailany Avilez, de 18 anos, moradora de Niterói, continua nas buscas pela estudante que sumiu neste domingo (2), ao sair de casa, por volta de 5h55 da manhã, vestindo blusa e calça preta, conforme revelou imagens de câmeras. Parentes creditam a situação ao término do noivado, que ocorreu em meio a embaraços familiares.

Recebimento de e-mail com uma carta foi confirmado por pessoas próximas, às irmãs de Kailany. Por ter deixado o celular em casa, a irmã Myllena Avilez, de 23, conseguiu acessar o dispositivo e o conteúdo da mensagem – que tem um tom de despedida e termina com uma oração.

“Tem uma carta que foi deixada na pasta de arquivos do iPhone. E a ex-cunhada, o ex-sogro, o ex-namorado e a ex-sogra disseram ter recebido por e-mail. Foram só amigos próximos”, relatou.

A família só conseguiu realizar o registro de desaparecimento na Delegacia de Homicídios de Niterói nesta segunda (3). Mas até o final da tarde não havia informação oficial sobre o paradeiro da jovem, que frequenta uma igreja evangélica no Badu. A reportagem ainda aguarda retorno da Polícia Civil.

A última informação recebida nesta segunda era de que uma mulher parecida com Kailany estaria em uma fila dos Correios, no bairro Inoã, em Maricá. “Fomos até lá e nos falaram que são muitas pessoas e não tem como identificar”, lamenta a irmã.

A casa em que Kailany morava com a mãe e as três irmãs fica em Pendotiba. Mas foi deixada por ela há cerca de oito meses, quando decidiu se mudar para a residência do namorado e dos sogros, antes em São Gonçalo, e depois para Cabo Frio, na Região dos Lagos – mesmo com a reprovação da mãe dela.

“Ela ficou noiva, teve um probleminha que a minha mãe acabou passando com a família do namorado, porque ela tinha 17 anos quando noivou e a minha mãe não deixou. Eles moravam em São Gonçalo e se mudaram para Cabo Frio. Ficou uns 8 meses nessa. O namorado ainda é menor, tem 17 anos”, continua Myllena Avilez.

O término do noivado ocorreu há cerca de um mês. A família dela desconhece o real motivo.

“A princípio ela sofreu bastante. Sempre fomos irmãs muito unidas e ela voltou pra casa. Começou a se mostrar forte e eu não entendi nada. Foi o primeiro namoro dela. Ela é da igreja. Não imagino onde ela possa estar. Talvez na casa de alguma amiga, que estaria acobertando. Espero que seja isso, de verdade”, diz a familiar.

A irmãs contam que Kailany sempre foi uma moça tranquila. Ela é matriculada no Liceu Nilo Peçanha e a formatura prevista para este ano. Nas horas vagas realizava aulas de piano. Também tinha uma loja virtual de chocolates, criada em parceria com o ex-noivo.

Os telefones da Delegacia de Homicídios de Niterói, que investiga o caso, são: 21 2629-2949 / 21 2717-2838. Já o contato da irmã Myllena Avilez é o: 21 99567-5142.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');