sábado, 26 de setembro de 2020

Criminosos de Santa Luzia na mira da polícia

Supermercado foi saqueado nesta terça-feira (15). Foto: via grupo Plantão Enfoco

O saque a um mercado no bairro Santa Luzia, em São Gonçalo, que ocorreu na tarde desta terça-feira (15), foi mais um dos motivos para que a Polícia Civil prosseguisse com as investigações acerca dos criminosos que atuam na região. O grupo já está na mira da polícia há aproximadamente três meses. As apurações estão a cargo da Delegacia de Alcântara (74ª DP).

Apesar de não ter sido registrado o boletim de ocorrência, a distrital vai investigar o caso, visto que se trata de um crime de ação pública incondicionada. O delegado titular, Dr. Edézio Ramos, tomou conhecimento e já analisa um vídeo gravado por um dos suspeitos de ter participado do crime. Mesmo após o criminoso declarar no vídeo que o saque teria sido cometido pelo mercado estar ‘fechado com a polícia’, a equipe comunicou que a informação é falsa e que o caso se tratou de baderna.

Os policiais vão realizar diligências em busca de câmeras de segurança e informações de testemunhas que possam identificar os autores do crime.

Na manhã desta quarta-feira (16), o supermercado abriu e funcionou normalmente. Os vidros quebrados durante a ação criminosa já foram trocados. O gerente não quis falar com a imprensa.

Através de nota, o Redeconomia informou que “Viemos esclarecer o caso ocorrido em nossa filial de Santa Luzia, onde foi um incidente isolado, não nos causando prejuízos. A economia mundial encontra-se descontrolada, nós do Redeconomia estamos diariamente fazendo o melhor por esta comunidade, que nos acolheu de forma calorosa nos últimos 10 anos”.

No local onde o caso aconteceu, comerciantes disseram que ficaram surpresos com a ação.

“Aqui na principal sempre foi tranquilo. Quando vimos as pessoas entrando no mercado não entendemos nada e ficamos em pânico, foi assustador! Nunca vimos isso acontecer aqui”, disse um comerciante que preferiu não se identificar.

Segundo a polícia, o grupo que atua na região realiza diferentes tipos de crimes como tráfico de drogas, roubo de veículos com sequestro de vítimas e roubos a pedestres.

A polícia vai investigar também se os criminosos teriam algum tipo de ligação com alguma empresa prestadora de sinal de internet no bairro, já que moradores denunciam que todos os cabos de operadoras que atuavam na região foram retirados e o tráfico teria passado a decidir qual empresa prestadora do mesmo serviço poderia atuar no bairro.

A hipótese é de que as operadoras atuantes na localidade foram obrigadas a pagar ao tráfico para ter a liberdade de oferecer o serviço na região.

Ainda de acordo com a polícia, as equipes ainda não podem atuar em campo para verificar as informações, por conta da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *