segunda, 19 de outubro de 2020

Familiares de João Pedro serão convocados a depor

O pai Neilson Costa Pinto está entre os familiares que deverá prestar depoimento. Foto: Pedro Conforte

Familiares do adolescente João Pedro, morto durante ação policial no Complexo do Salgueiro, serão chamados para prestar depoimento, segundo confirmou a Polícia Civil nesta quinta-feira (21).

O delegado Allan Duarte, titular da Divisão de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG), será o responsável pelos depoimentos que já devem acontecer nos próximos dias.

João Pedro Matos Pinto, de 14 anos, foi morto ao ser atingido por uma bala durante uma operação da Polícia Federal (PF) com apoio da Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE), na tarde da última segunda-feira (18), na localidade de Itaoca, em São Gonçalo. 

Segundo a Polícia Civil, o piloto da aeronave que transportou o jovem ferido para o Rio de Janeiro e mais duas testemunhas já prestaram depoimento na sede da especializada, no Centro de Niterói. Os agentes analisam também os laudos da perícia no local e de necropsia. Outras diligências ainda estão em andamento. 

Sindicância

Ainda segundo a polícia, a Corregedoria Geral da Polícia Civil instaurou sindicância administrativa disciplinar para apurar a conduta dos policiais civis que participaram da ação. A apuração corre em paralelo ao inquérito policial instaurado pela DH. 

OAB

A Comissão de Defesa da Criança e do Adolescente da OAB São Gonçalo lamentou a forma brutal pela qual a vida do adolescente foi ceifada e se solidarizou com seus familiares e amigos. A OAB se colocou à disposição para elucidação dos fatos. 

“Se fosse em Copacabana não faria isso, porque em uma região mais pobre o agente se sente no direito de atirar? Nós vamos entrar no caso se houver um pedido da família”

 Eliano Enzo, presidente da OAB de São Gonçalo

Peritos da Divisão de Homicídios vão fazer uma análise mais detalhada na bala, que é semelhante a um projétil calibre 762, para saber de qual arma partiu o tiro. 

As armas dos policiais civis foram apreendidas, já as dos agentes da Polícia Federal não foram apreendidas até o momento. 

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *