sexta, 30 de outubro de 2020

Jovem é morto a facadas após defender a tia em Piratininga

Washington chegou a ser levado por familiares à UPA Mário Monteiro, mas não resistiu aos ferimentos. Foto: Arquivo Pessoal

O vendedor ambulante Washington da Conceição Nascimento, de 22 anos, morreu após levar golpes de facadas durante uma confusão envolvendo a tia, na Comunidade do Inferninho, em Piratininga, Região Oceânica de Niterói, nesta terça-feira (25). O caso ocorreu por volta de 10h.

De acordo com o tio da vítima, de 37 anos, uma discussão entre a irmã dele (tia da vítima) e o inquilino do falecido pai (avô da vítima) teria motivado o crime.

“Rolou uma discussão entre o inquilino do meu pai, que faleceu há pouco tempo, e a minha irmã. Ele [inquilino] tinha cantado ela, que não gostou e começou a falar. O meu sobrinho se envolveu na confusão e o rapaz [inquilino] deu cinco facadas nele”, contou.

Ainda de acordo com o tio, Washington chegou a ser levado à Unidade de Pronto Atendimento Mário Monteiro — casa de Saúde que fica perto do local do crime – mas não resistiu aos ferimentos. O enterro está marcado para acontecer às 15h desta quarta-feira (26) no Cemitério São Francisco Xavier, em Charitas, na zona sul da cidade. A vítima deixa esposa e dois filhos pequenos.

Durante a tarde desta terça (25), pelo menos dois familiares de Washington prestaram depoimento na sede da Divisão de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSIG), segundo o tio da vítima.

Procurada, a Polícia Civil ainda não revelou detalhes da ocorrência e qual será o andamento das investigações. O paradeiro do acusado ainda é desconhecido. Nas redes sociais, amigos e familiares relatam que ele fugiu após cometer o crime.

O tio de Washington conta que o acusado de esfaquear a vítima morava de aluguel em uma casa vizinha, que pertencia ao pai dele (avô da vítima). Ainda de acordo com o tio, a irmã dele (tia do jovem) ficou responsável por administrar as finanças do aluguel, depois da morte do pai.

“Nós sabemos que ele [acusado] tinha parentes em São Paulo e veio sozinho pra cá, sem nada. Não sabemos como ele é. Mas pagava o aluguel certinho. Não demonstrava comportamento agressivo, mas era usuário de drogas”, afirma o tio da vítima.

Washington era morador da Comunidade da Esperança, em Itaipu. Ele tinha os rins paralisados e fazia procedimentos de hemodiálise há pelo menos quatro anos. Ele teria ido até a casa dos parentes, na Rua 502 da Comunidade do Inferninho, nesta terça (25) para fazer uma visita, quando tudo aconteceu.

“Nós levamos ele de carro para à UPA Mário Monteiro assim que tudo aconteceu. Ele foi direto para cirurgia, mas não aguentou. Uma das facadas acertou o coração. O carro ficou cheio de sangue”, lamentou o tio do jovem, que testemunhou o crime.

Por meio de uma rede social, a irmã de Washington fez um pedido de Justiça após o assassinato do irmão. Amigos da vítima também lamentaram o crime.

“A covardia tirou a alegria da minha sobrinha de ter o pai presente nas festas de dias dos pais. A covardia tirou da minha sobrinha o herói dela. A covardia tirou da minha sobrinha o que ela tanto amava, seu pai. E agora como será quando ela perguntar o porquê ele tá demorando a chegar? E como será essa saudade? Essa dor? Uma vida por tão pouco. Destruiu uma família por tão pouco. Acabou com a nossa alegria por tão pouco. Eu quero justiça”, publicou a irmã da vítima.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *