domingo, 29 de novembro de 2020

Madrugada de bailes em comunidades de Niterói

Baile com traficantes armados foi até a madrugada em Piratininga. Foto: via grupo Plantão Enfoco

Som alto, traficantes armados e “proibidões” durante a madrugada. Moradores da comunidade do Inferninho, em Piratininga, Região Oceânica de Niterói, tiveram que “tapar” os ouvidos para conseguir ter uma “tranquila” noite de sono, na madrugada desta terça-feira (13).

De acordo com moradores, criminosos aproveitaram o feriado de Nossa Senhora Aparecida para realizar um baile funk na comunidade. O evento, que começou à tarde e durou até a madrugada, contou com a presença de traficantes armados em vários pontos da localidade e “proibidões” – as famosas músicas em alusão ao tráfico de drogas-, controlado pela facção criminosa Comando Vermelho.

“Esse evento já tinha sido anunciado e a gente chegou a entrar em contato com a PM através do 190. Cara, o som estava indo muito longe e ninguém estava conseguindo dormir. Tenho amigos em outros bairros da região e todo mundo disse a mesma coisa. Som insuportável e que atrapalha a vida de trabalhadores que tiveram que acordar cedo como eu. É triste demais”, disse um morador das proximidades do local do evento irregular.

Procurada, a PM informou que não foi acionada para a ocorrência e pediu para que moradores continuem denunciando as práticas irregulares.

Baile no Serrão

Já na comunidade do Serrão, localizada no Cubango, na Zona Norte de Niterói, policiais militares do 12°BPM (Niterói) relataram que foram até o local, na madrugada desta terça-feira (13), e acabaram com o evento irregular que estava acontecendo na localidade.

Nas redes sociais, vários perfis comentaram sobre o intenso tiroteio que teve início após a chegada do “caveirão” – veículo blindado utilizado pela PM em operações.

“Eu sabia que ia dar problema no baile do Serrão ontem com música absurda de alta até de madrugada. Só não esperava o tiroteio que foi, parecia guerra”, disse um morador no Twitter.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

3 thoughts on “Madrugada de bailes em comunidades de Niterói

  1. Eu já odeio funk, ainda tem essas pessoas que apoiam a ilegalidade. Esse é o Brasil que eu não quero para meus filhos quando tiver! 😠

  2. Todo dia isso, há anos
    Música alta até de madrugada, seja final de semana ou meio de semana. Está ficando cada vez mais alto e mais duradouro.
    Surreal…

  3. Enquanto o Brasil ignorar que pobre tbm tem que ter acesso a lazer e educação passaremos por isso …. A playboizada faz festa com sons ensurdecedores em diversas areas nobres da cidade e ninguem fala nada … O Estado precisa entrar na favela para proporcionar qualidade de vida e nao somente bala e terror.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *