sexta, 23 de abril de 2021

Mãe implora a bandidos: ‘Quero me despedir do meu filho’

Carlos, Gabriel, militar, desaparecido, Monjolos, São Gonçalo
Carlos Gabriel da Rosa, de 20 anos é paraquedista do Exército Brasileiro. Foto: Reprodução Redes Sociais

A Polícia Civil investiga se o corpo encontrado na tarde desta sexta-feira (29), no bairro Pacheco, em São Gonçalo, é do ex-militar do Exército Carlos Gabriel da Rosa, de 20 anos, que era paraquedista, lotado no 27º Batalhão de Infantaria e que está desaparecido desde o dia 26. 

Publicações em redes sociais relatam que o rapaz teria sido baleado na noite de terça-feira (26) em frente ao ‘Campo do Canequinho’ em Monjolos. 

A mãe do rapaz, Iza dias, gravou um vídeo emocionante revelando toda a dor e sofrimento do desespero em busca de informações sobre o filho.


“Eu peço que me ajude na divulgação e que esse vídeo caia nas mãos das pessoas que fizeram isso com meu filho. Não me interessa quem é, pois isso não vai trazer ele de volta. Eu só queria poder dar um enterro digno para ele”

A mãe do jovem continua o pedido para que o corpo do filho seja entregue. 

“Peço por favor para essas pessoas que fizeram isso com meu filho. Eu sei que vocês também tem família. Sei que tem um pouco de humanidade em vocês. Que Deus e o Espírito Santo toque em vocês, que vocês entreguem onde está o meu filho”, disse emocionada. 

Segundo ela, a família já procurou o corpo do rapaz por vários lugares.

“Só posso dizer que acabou a minha vida. Eu quero me despedir do meu filho e dizer o quanto eu o amo e vou amar para o resto da vida”

Orgulho

Formatura do militar desaparecido. Foto: Reprodução Redes Sociais.


Carlos Gabriel da Rosa, de 20 anos, se formou como paraquedista do Exército em agosto do ano passado.

A Polícia Civil informou em nota que ‘as investigações estão em andamento na Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSG). Os agentes estão em contato com familiares em busca de informações que ajudem a localizar a vítima’.

O Comando Militar do Leste (CML) foi procurado, e informou que Carlos não é mais integrante do Exército desde o dia 13 de janeiro, pois foi licenciado por término de serviço militar obrigatório.

Outro caso

Essa não é a primeira vez que militares do Exército desaparecem, e posteriormente são encontrados mortos. O soldado do Exército Victor Hugo Xavier, de 18 anos e Daniel Ferreira de Azevedo, de 19 anos, foram mortos na madrugada do dia 13 de julho do ano passado.

Os amigos que no dia 12 de julho, se encontrara, para assistir uma partida de futebol em uma casa de festas no Mutondo, em São Gonçalo, acabaram sendo vítimas de traficantes.

De acordo com a polícia, depois do jogo, foram para a um bar no Raul Veiga, onde conheceram duas meninas. Após o encontro, eles se ofereceram para levar as jovens em casa e, no caminho de volta, acabaram se envolvendo em uma discussão causada por um acidente de trânsito, com o veículo onde estava um traficante. Após serem identificados como militares, os jovens foram executados a tiros. 

Na manhã do dia 13 de julho, os dois corpos foram encontrados carbonizados dentro de um carro incendiado na Rua Francisco José da Silva, no Pacheco, também em São Gonçalo. O carro teria sido deixado no local de madrugada, por volta de 3h. Um corpo se encontrava no porta-malas, já o outro no banco traseiro.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');