sábado, 10 de abril de 2021

Militar ameaça porteiro de prédio na Zona Sul de Niterói

Vídeo flagrou momento da ameaça. Imagens: via grupo Plantão Enfoco

Um porteiro, de 37 anos, teria sido ameaçado com uma arma em punho por um sargento da Marinha do Brasil, lotado na Base do Mocanguê, no início da noite do último sábado (13), na portaria de um condomínio localizado na orla da Praia de Icaraí, na Zona Sul de Niterói.

Segundo relatos da vítima, toda a trama começou há cerca de dois meses quando o militar, acompanhado da namorada, que é a moradora do edifício, localizado na Avenida Jornalista Alberto Francisco Torres, na altura do número 55, colidiram com o portão do edifício e não teriam arcado com o prejuízo.

Após o ocorrido, o síndico do estabelecimento teria proibido o estacionamento de visitantes do casal no interior do prédio. Entretanto, no último sábado (13), uma amiga chegou ao edifício, a bordo de um veículo, e solicitou a entrada para o estacionamento.

Ciente da determinação, o porteiro pediu para a visitante aguardar na portaria enquanto ele falava com o síndico do prédio, que negou o estacionamento da amiga do casal. A partir do impedimento, o militar desceu e foi até a portaria, onde teria ordenado a abertura do portão e ameaçado o porteiro com uma pistola em punho.

“Abre essa p* que eu tô mandando, seu f*”, teria dito o militar durante a ameaça ao porteiro.

Prédio onde o crime teria acontecido. Foto: Lucas Benevides

Durante a atitude ousada do militar, o porteiro apontou para uma câmera de segurança do prédio, que filmou toda a ação. Após ter ciência de que estava sendo filmado, o militar recolheu a arma e voltou ao apartamento de sua companheira.

“Após todo esse fato, acionei o 190 e os policiais chegaram até o local, conduzindo nós dois para a delegacia. Lá prestamos depoimento e ele foi liberado. Foi uma cena assustadora, mas ali era o meu trabalho, e tinha que fazer o serviço da forma correta”.

Porteiro, que preferiu não se identificar

Chegando à Delegacia de Icaraí (77ª DP), onde o caso foi registrado, o militar prestou depoimento e desmentiu todas as acusações, indo contra as imagens da câmera de segurança do edifício.

No depoimento, ele afirmou que desceu para a portaria após a amiga chegar e não conseguir entrar. Ainda segundo o sargento, ele teria pego um celular e não uma arma e falado para o porteiro que a visita estava agendada e que a amiga já estava esperando há mais de meia hora.

De acordo com a Polícia Civil, o militar irá responder pelo crime de ameaça, onde a pena pode variar de um e seis meses.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *