quarta, 21 de outubro de 2020

Operação ‘Barão’ combate milícia em Itaboraí

itaboraí, Chacina, Marambaia
Polícia já investiga atuação de milicia na região (Foto: Alex Oliveira)

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO/MPRJ), em parceria com a Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo, realiza, nesta sexta-feira (25), a operação ‘Barão’, contra milicianos que atuam em Itaboraí.

O objetivo era cumprir mandados de prisão temporária contra nove investigados, além de mandados de busca e apreensão, incluindo a quebra de sigilo de dados e de comunicações telefônicas. Ao todo foram nove mandados de prisão e nove de busca e apreensão. Dois mandados foram cumpridos dentro do presídio, um deles foi o de “Renatinho Problema”, como é conhecido, preso desde dezembro de 2018.

Nas investigações em curso em inquérito policial sigiloso, após a realização de diversas diligências investigativas, foi possível identificar alguns dos integrantes da milícia privada que vem crescendo na comarca de Itaboraí.

Aponta o MPRJ que o grupo criminoso paramilitar conta com agentes públicos corruptos, e, dentre as suas principais atividades, estão a cobrança de ‘taxas’ a moradores e comerciantes, como a relativa à exploração clandestina da atividade de segurança privada, e as ‘contribuições’ impostas aos comerciantes de gás de cozinha, fornecedores de internet banda-larga e motoristas de transporte alternativo.

De acordo com os promotores de Justiça, os integrantes da milícia imputam diversos males àqueles que se negam a curvar-se às suas ordens. Segundo os indícios colhidos ao longo da investigação, algumas das retaliações empregadas por esses criminosos consistem em invadir os imóveis dos moradores dissidentes e subtrair seus pertences, ou então os sequestrá-los, torturá-los e, por fim, ceifar suas vidas, desaparecendo com seus corpos.

O MP obteve a decretação da prisão temporária, pelo prazo de 30 dias, de Wanderson da Silva Oliveira, conhecido como ‘Juninho Milícia’); Renato Nascimento dos Santos, o ‘Renatinho Problema’; Luciano Rosa Gomes, de apelido ‘Serrote’; Wildson de Souza Coutinho, o ‘Angolano’; Felipe Cesar dos Santos; José Alfredo Bardasson Marques, o ‘Alfredinho’; Diego Amaral de Miranda, conhecido como ‘Diego KB’; Maycon e Pablo Tavares da Silva, conhecido como ‘Pablo’ ou ‘Japa’.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

1 thought on “Operação ‘Barão’ combate milícia em Itaboraí

  1. Uma vergonha pra mim são piores dique traficantes tem todo aparato do estado pra assassinar a sociedade não precisamos desses covardes e assassinos vergonha e despressos total.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *