domingo, 17 de janeiro de 2021

‘Tiraram os sonhos dela’, lamenta irmã de jovem morta em SG

Irmã da jovem morta após ser baleada em São Gonçalo. Foto: Marcelo Tavares.

“Tiraram os sonhos da minha irmã. Ela queria ser dançarina”

O relato emocionado é da irmã da jovem, de 18 anos, morta na manhã desta segunda-feira (11) ao ser atingida por uma bala perdida, durante confronto entre criminosos e policiais na entrada da comunidade do Cebolô no bairro Arsenal, em São Gonçalo. O atestado de óbito, foi liberado apenas no início da tarde pelo Instituto Médico Legal (IML) de Tribobó.

“Estamos sofrendo demais e essa espera deixou a nossa dor ainda pior. Eles não davam nenhuma informação direito. Isso tudo é muito triste”, desabafou Ana Carolina Barbosa, irmã da vítima.

De acordo com a família, Andressa Barbosa Vianna deixa uma filha de um ano e meio. A irmã contou que a jovem saiu de casa no domingo à noite para ir a um baile funk e não voltou mais.

“Recebi a ligação do amigo que estava com ela me dizendo que Andressa havia sido baleada e estava no hospital. Ele disse que eles correram ao ouvir os tiros, mas ela foi atingida. Entramos em desespero e quando chegamos lá [hospital] soube que minha irmã já tinha chegado morta. É mais uma que entra para estatística e que deixa uma criança sem mãe”

Ainda de acordo com Ana Carolina, sua irmã não tinha envolvimento com ninguém relacionado ao tráfico.

“Quando você mora na favela, enxerga o baile como diversão. Minha irmã não era drogada e nem mulher de traficante. Sempre foi uma pessoa carinhosa e amorosa. Triste fim, é uma dor que não desejo pra ninguém”

A família é moradora da comunidade da Cocada, no Badu, em Niterói. O local do enterro ainda não foi divulgado.

A Polícia Civil, responsável pelo Instituto Médico Legal, ainda não esclareceu os motivos da demora na entrega dos documentos.

Investigações

De acordo com Mario Lamblet, delegado da Divisão de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG) e responsável pelo caso, a arma do policial que afirmou ter efetuado disparos foi apreendida.

“O armamento passará por perícia e, após o resultado que possivelmente ficará pronto em 30 dias, vamos confrontar com o laudo do IML. Também fizemos uma perícia na viatura que foi atingida pelos disparos”, destacou.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *