sexta, 22 de janeiro de 2021

Após ser solto, Pedro Fernandes quer ser corretor de imóveis

Pedro Fernandes anunciou ‘saída’ da política após escândalos. Foto: Julia Passos/Alerj

Pouco mais de um mês após ser solto da prisão, o ex-secretário de Educação do Estado do Rio, Pedro Fernandes, decidiu abandonar a vida política para atuar como estagiário em uma imobiliária. O anúncio foi feito por ele mesmo através das redes sociais nesta segunda-feira (23). O ex-secretário foi preso no mês de setembro, em um desdobramento da Operação Catarata, do Ministério Público (MPRJ).

“Estou passando aqui para avisar a todos vocês que estou trabalhando com venda de imóveis, na verdade estou estagiando em uma imobiliária porque estou fazendo meu curso para me tornar um corretor de imóveis. Me formo agora em janeiro”

A declaração da nova ocupação profissional acontece após o ex-secretário afirmar, em outro vídeo, que pretende deixar a carreira política. Pedro Fernandes agradeceu pela reeleição da mãe, Rosa Fernandes (PSC), como vereadora na cidade do Rio de Janeiro, e afirmou que se dedicaria exclusivamente à vida profissional.

“Depois de conversar muito com a minha família, decidi que vou ficar exclusivamente dedicado a minha vida profissional fora da política. Da política eu levo maravilhosas lembranças e grandes amizades construídas. A partir de agora eu construo um novo rumo na minha vida, mas gostaria que tivessem a certeza que sempre poderão contar comigo, independente de onde estiver”, comunicou.

Controvérsia

Em diligências realizadas pelo Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci-RJ) nesta quarta-feira (25), foi constatado que o ex-deputado estadual, Pedro Henrique Fernandes da Silva não possui inscrição como estagiário ou corretor de imóveis no Creci-RJ, disse o órgão.

“Ao anunciar e captar clientes, como observado no vídeo amplamente divulgado nas redes sociais, Pedro Fernandes está exercendo ilegalmente a profissão. As atribuições citadas são inerentes aos corretores de imóveis, ou seja, profissionais qualificados e devidamente registrados no Creci, de acordo com a Lei 6.530 de 1978, que regulamenta a profissão”, esclareceu.

Segundo o Creci-RJ, as medidas cabíveis serão adotadas pelo Conselho e os devidos autos serão lavrados. “Desta forma, o Creci-RJ segue atuando na valorização dos corretores de imóveis e na defesa da sociedade”, finalizou.

Operação Catarata

Pedro Fernandes foi preso no dia 11 de setembro em um desdobramento da Operação Catarata, desencadeada em 2019, que investigava fraudes na Fundação Leão XIII, entidade estadual voltada para o atendimento a populações de baixa renda e moradores de rua do Rio de Janeiro.

Segundo o Ministério Público, as investigações constataram fraudes em contratos para projetos sociais na Fundação Leão XIII e também nas secretarias municipais de Envelhecimento Saudável e Qualidade de Vida do Rio de Janeiro, na Secretaria Municipal de Proteção à Pessoa com Deficiência do Rio de Janeiro, de 2013 a 2018.

Publicada às 17h57 de 23 de novembro
Atualizada às 15h41 de 25 de novembro

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *