quarta, 25 de novembro de 2020

Auxílio emergencial ‘em análise’ desespera beneficiários

Beneficiários ainda aguardam aprovação da Caixa. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Observar o status ‘em análise’ no aplicativo da Caixa Econômica Federal tem deixado beneficiários do auxílio emergencial, cedido pelo Governo Federal, em desespero. A demora na aprovação do cadastro tem sido a maior preocupação para autônomos, trabalhadores informais e desempregados desde o anúncio de concessão do benefício pelo Governo Federal.

Nesta sexta-feira (24), a Caixa informou que, à noite, creditará mais R$ 1,2 bilhão da primeira parcela para 1,9 milhão do total de elegível de inscritos no programa. Os recursos, que já foram disponibilizados pelo Ministério da Cidadania, poderão ser acessados neste sábado (25).

A quantia foi liberada pela pasta federal na última quarta-feira (22). Mesmo dia em que o Ministério anunciou uma nova atualização do aplicativo ‘CAIXA | Auxílio-Emergencial’. Segundo o governo, um dos objetivos era fazer a revisão dos cadastros já realizados, ‘que por diversas razões, não tiveram a sua elegibilidade confirmada’.

No entanto, tem pessoas cadastradas desde o primeiro período de inscrição (de 7 a 10 de abril) que ainda aguardam análise do banco. Como é o caso do autônomo Éric Rouças, de 49 anos, morador do bairro Santa Catarina, em São Gonçalo. Segundo o trabalhador, que tem dois filhos adolescentes e está com a esposa desempregada, é angustiante a espera.

“Eu não baixei o aplicativo e fiz diretamente no site, mas ainda encontra-se em análise. O governo não dá resposta nenhuma e a gente começa a passar dificuldade porque tem que comprar comida todo dia. O governo deixa claro que não auxilia a gente em nada, mesmo que a gente pague os impostos todos certinho. Estamos precisando com urgência”, disse o autônomo, que realizou o cadastro no dia 7.

Do sudeste ao centro-oeste do país, a situação se repete na família de Kassya Alves, de 22 anos. Moradora de Jardim Ipiranga, em Aparecida de Goiânia, no estado de Goiás, ela conta que sobreviver em tempos de pandemia tem sido doloroso. Ela, que mora com o esposo, mal consegue pôr uma refeição completa na mesa.

“Fiz o cadastro no dia 7 de abril e desde então está em análise. Eu desinstalei e instalei o aplicativo e nada de sair a resposta. Aqui na minha casa não temos praticamente nada, só temos arroz, feijão e, as vezes, um ovo. Meu marido perdeu o emprego por causa da pandemia. É uma falta de respeito com a gente, que precisa passar por isso. É horrível ter que depender do governo para comprar comida e ele nos tratar dessa forma, é desumano”, desabafou.

Aprovados, mas sem pagamento

Depois de mais de 15 dias aguardando a resposta do cadastro, Anderson Rodrigues, de 35 anos, que está desempregado, conseguiu uma mudança no status de inscrição. O morador do Galo Branco, em São Gonçalo, teve o pedido aprovado, na noite desta quinta-feira (23), e não vê a hora de receber a quantia para quitar contas atrasadas.

“Várias contas, que venceram no dia 10, ficaram atrasadas. Uma delas é a de internet, que até para ver o auxílio tínhamos que ir na casa de um amigo aqui perto”, disse.

A situação da trabalhadora informal Rafaela de Lima, de 22 anos, é um pouco diferente. Moradora de Vigário Geral, na Zona Norte do Rio, ela fez o cadastro no dia 7 e obteve a aprovação pouco mais de uma semana depois. Mas até agora, ela conta que ainda não viu a cor do dinheiro.

“Não consigo acessar o Caixa Tem (aplicativo) e quando eu consigo, diz que eu não tenho conta para movimentação. Agora é uma falta de respeito, porque perdemos o nosso dia nas agências tentando resolver e buscar informação para ainda ser atendida com descaso”, reclamou.

Caixa

A Caixa Econômica Federal emitiu nota, nesta sexta-feira (24), esclarecendo que os beneficiários que receberam o crédito em poupança da Caixa podem movimentar o valor digitalmente pelo Internet Banking ou mesmo utilizando o cartão de débito em suas compras.

Já aqueles que receberam o crédito por meio da Poupança Digital Caixa podem pagar boletos e contas de água, luz, telefone, entre outras, bem como fazer transferências para outros bancos por meio do aplicativo ‘Caixa Tem’.

Com o objetivo de evitar aglomerações nas agências e unidades lotéricas, expondo empregados, parceiros e clientes ao risco de contágio, a Caixa escalonou o calendário de saque. Quem indicou conta bancária anterior ou vai receber os R$ 600 em substituição ao Bolsa Família não tem restrição para saque.

O calendário de saque em espécie da poupança digital sem cartão nos canais de autoatendimento e lotéricas é o seguinte:

27 de abril – nascidos em janeiro e fevereiro
28 de abril – nascidos em março e abril
29 de abril – nascidos em maio e junho
30 de abril – nascidos julho e agosto
04 de maio – nascidos em setembro e outubro
05 de maio – nascidos em novembro e dezembro

“Até a noite desta quinta-feira (23), 45,9 milhões de cidadãos já se cadastraram para recebimento do benefício. O site superou a marca de 275 milhões de visitas e a central exclusiva 111 registra mais de 68 milhões de ligações. O aplicativo Auxílio Emergencial CAIXA soma 57,2 milhões de downloads e o aplicativo CAIXA Tem, para movimentação da poupança digital, supera 37,2 milhões de downloads”, informou a Caixa, em nota.

Segunda parcela

O Ministério da Cidadania informou, nesta semana, que o pagamento da segunda parcela não será antecipado. A pasta atribuiu a decisão ao alto número de informais cadastrados, o que tornou imperativo solicitar crédito suplementar para poder completar o atendimento a todos.

‘Recebemos uma recomendação da Controladoria Geral da União (CGU) a este respeito. O Ministério da Cidadania já solicitou ao Ministério da Economia a previsão para uma suplementação orçamentaria o mais rápido possível. Em virtude disso, por fatores legais e orçamentários, pelo alto número de requerentes que ainda estão em análise, estamos impedidos legalmente de fazer a antecipação da segunda parcela’, informou a nota.

Publicada às 17h30

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

1 thought on “Auxílio emergencial ‘em análise’ desespera beneficiários

  1. Ótimo artigo! Acredito que sem o auxílio emergencial as dificuldades econômicas já encontradas seriam imensamente superiores. Talvez uma prorrogação em 2021 seria de grande valia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *