sexta, 30 de julho de 2021

Bolsonaro anuncia novo valor do Bolsa Família a partir de novembro

Reajuste será de R$ 300 pago com impostos arrecadados pela União. Foto: Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) anunciou, nesta segunda-feira (19), o reajuste do programa Bolsa Família. Segundo ele, o benefício deverá chegar aos R$ 300 e será pago com o recolhimentos de impostos do Governo Federal a partir do próximo mês de novembro. Atualmente, o valor pago aos brasileiros está cerca de R$ 192. O aumento será de mais de 50%.

“Vai ser um aumento de mais de 50%. Sei que é pouco, mas é o que a Nação pode dar. Estamos prevendo em torno de 22 milhões de pessoas recebendo o Bolsa-Família a partir de dezembro. É um número assustador. Esperamos pacificar a questão do Bolsa-Família, com esse valor, a partir de novembro”, garantiu o presidente durante entrevista a uma rádio de Minas Gerais na manhã desta terça.

Há uma semana, o ministro da Cidadania, João Roma, disse, durante entrevista ao programa A Voz do Brasil que um novo programa será lançado em novembro, após o fim do pagamento da última parcela da prorrogação do auxílio emergencial. A ideia é que seja uma ampliação do programa atual.

Segundo o ministro, o novo programa vai além do atual Bolsa Família, porque integra outras ações sociais do governo federal e vai incluir programas como a aquisição de alimentos que, segundo Roma, virá para “fortalecer o quesito de segurança alimentar e nutricional”, de capacitação, de empreendedorismo e de microcrédito.

“O que nós queremos oferecer ao cidadão é ir além de uma teia de proteção para sua situação de vulnerabilidade, mas também oferecer todas as ferramentas do estado brasileiro para que ele possa alcançar maior condição e uma melhor qualidade de vida para si e para sua família”, explicou.

Fundo

Bolsonaro também confirmou que deve optar pelo veto da LDO, que triplicou o valor do fundo partidário para R$ 5,7 bilhões. Conhecido como Fundo Eleitoral, o orçamento é uma forma de financiamento público dos partidos políticos no Brasil. Bolsonaro disse que a oposição fez uso estratégico da votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para tentar deixar nas mãos do governo a responsabilidade pelo aumento dos recursos do Fundo, conforme aprovação do Congresso Nacional, na semana passada.

“Extrapolou o valor, então eu tenho a liberdade de vetar e vou vetar. Espero não ter problemas com o Parlamento. Após o nosso veto eles que decidam lá se mantêm ou não”, afirmou.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');