segunda, 18 de janeiro de 2021

‘Climão’ na Câmara de Niterói com escolha de Chefe de Gabinete

Vereador Douglas Gomes garante que escolha de Thiago para comandar seu gabinete não tem qualquer relação com evento ocorrido na manifestação. Foto: Rede Social

O chefe de gabinete escolhido pelo vereador Douglas Gomes (PTC), na Câmara de Niterói, é o mesmo acusado pela parlamentar Walkiria Nictheroy (PCdoB) de cometer agressão verbal e disparar um sinalizador contra ela, no ano passado, em uma manifestação na frente do Clube Canto do Rio, no centro da cidade, quando acontecia uma reunião de apoiadores bolsonaristas.

A nomeação de Thiago Almeida Guimarães F. Santos foi publicada em ato interno nesta terça (12), pelo presidente da Casa, Milton Cal (PP), a contar de 1º de janeiro. A escolha provocou incômodo nos bastidores da Casa e já na primeira sessão plenária do ano, a vereadora e professora Walkiria denunciou o que considerou ‘clima de insegurança’ instalado dentro da Câmara.

“Nos próximos quatro anos andarei pelos corredores dessa Câmara dividindo espaço com meu agressor. Em nenhum momento achei que legislar seria fácil, mas digo sem medo que resistiremos”

Conforme noticiado pelo Plantão Enfoco, no dia 11 de setembro do ano passado, a União da Juventude Socialista (UJS) de Niterói fez na frente do Canto do Rio um ato que questionava o valor de R$ 89 mil depositados pelo então assessor Fabrício Queiroz na conta da primeira-dama do Governo Federal Michelle Bolsonaro. Wal, que na época presidia a UJS de Niterói – ligado ao PCdoB – foi atingida por um sinalizador.

Ela fez um Boletim de Ocorrência pela internet e explicou que esteve na Delegacia do Centro (76ª DP) para validar, onde foi pedido para que aguardasse uma notificação judicial. A referida notificação ainda não teria chegado até o momento.

Procurado, o vereador Douglas Gomes afirma que a escolha do nome de Thiago para ocupar cargo de chefia em seu gabinete se deve ao fato dos dois serem amigos de longa data, não havendo qualquer ligação com provocações a colega parlamentar.

“Ela é insignificante para mim. Não vou nomear alguém para provocar. Ela se colocou como inimiga. Se pegar o meu discurso e comparar ao dela: eu estou aberto ao diálogo e a conversa. Ela foi totalmente diferente”

O parlamentar ressalta ainda que a questão de Walkiria deve ser resolvida na Justiça. “[A nomeação] não tem referência a essa situação [da manifestação], que é de cunho pessoal. Que ela resolva a questão na Justiça e que ela prove, se porventura tiver feito Boletim de Ocorrência, ou corpo de delito. Ela tem um vídeo falando com bastante calma depois desse suposto ataque. Realmente, me deixa duvidoso quando a gente compara com a entrevista que ela deu a um programa de TV no dia seguinte e preferiu não fazer boletim no dia seguinte, chamando as pessoas de covarde”, acusa.

Câmara sem recesso

Os parlamentares aprovaram a matéria em primeira e segunda discussão, nesta quarta-feira (13), com 19 votos ‘sim’ e uma ausência. Foto: Karina Cruz / Arquivo

O primeiro ato em plenário dos vereadores de Niterói na atual legislatura foi decidir pelo cancelamento do recesso parlamentar, que ocorreria deste mês até o dia 15 de fevereiro.

A razão é a necessidade de atuação parlamentar contínua durante o período de combate à Covid-19 e aos efeitos sociais causados pela pandemia.

Parlamentares aprovaram a matéria em primeira e segunda discussão, nesta quarta-feira (13), com 19 votos ‘sim’ e uma ausência, em ambos os cenários.

A Câmara Municipal vai se reunir em sessões ordinárias, no mínimo, duas vezes por semana, em horário a ser definido pela Mesa Diretora, até o dia 15 de fevereiro, quando então terá continuidade o período legislativo, conforme calendário previsto na Lei Orgânica e no Regimento Interno.

Os prazos já previstos não serão interrompidos diante da excepcional suspensão do recesso parlamentar, considerando como interrupção do período legislativo apenas aquela ocorrida entre 30 de dezembro, com a aprovação da Lei Orçamentária Anual, e a vigência da atual Resolução.

A Comissão de Saúde e Bem-Estar Social reforçou que não é o momento de recesso. Inclusive, o presidente do comitê, Paulo Eduardo Gomes (Psol), disse que vai buscar marcar uma audiência pública já nos próximos dias para debater com o governo o Plano Municipal de Vacinação.

“O momento pede que os parlamentares trabalhem mais do que nunca, aprovando medidas que beneficiem a cidade e fiscalizando de forma permanente os atos do Poder Executivo. Assim como ocorreu durante o recesso de julho de 2020, a Câmara Municipal precisa se manter alerta, com exercício pleno da função legislativa já que estamos ainda enfrentando à Covid-19 e seus graves efeitos em nosso município”

Gomes é autor da Resolução 001/2021, que suspende o recesso parlamentar. A Mesa Diretora, que ficou de acordo, diz que o conjunto da Câmara precisa se manter em alerta neste início do ano, considerando que a vacina ainda não chegou e a pandemia ainda está instalada na cidade.

Niterói tem 25.205 casos de coronavírus confirmados até esta quarta-feira (13), segundo a Secretaria Municipal de Saúde. Ao todo, são 24.139 pessoas curadas, 169 em isolamento, 220 hospitalizadas e 677 óbitos.

Junto aos demais secretários, o vereador Cal justifica que as dificuldades impostas pelo afastamento social também demandam do parlamento uma maior aceleração do trabalho parlamentar a fim de que projetos, vetos, requerimentos e demais proposituras sejam analisados e encaminhados com a fluidez necessária para o atendimento das necessidades da população, citando lei que estendeu benefícios sociais.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *