quarta, 28 de outubro de 2020

Comissão discute causas do aumento no número de feminicídios

Leila Barros é autora do pedido para a audiência. Foto: Jane de Araújo – Agência Senado

Em 2019, o número de feminicídios no Brasil aumentou com relação ao ano anterior. O dado é do Monitor da Violência, feito em parceria pelo Núcleo de Estudos da Violência da USP, pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública e pelo Portal G1.

As razões do aumento na incidência desse tipo de crime serão discutidas pela Comissão Mista de Combate à Violência Contra a Mulher (CMCVM) em audiência pública na quarta-feria (11), às 14h30.

O feminicídio é o homicídio de mulheres motivado pelo gênero. O levantamento do monitor da Violência, divulgado na última quinta-feira (5), reuniu dados oficiais dos 26 estados e do Distrito Federal.

Apesar de o número de homicídios dolosos (intencionais) contra mulheres ter caído 14 %, o de feminicídios aumentou 7,3%. Em 2019, 1.314 mulheres foram mortas pelo fato de serem mulheres.

De acordo com a senadora Leila Barros (PSB-DF), autora do pedido para a audiência, é necessário discutir as causas desse tipo de crime e os ajustes na legislação para reduzir a incidência e combater a cultura do feminicídio e da violência contra a mulher.

Convidados

– Amom Albernaz Pires, promotor de Justiça

–  Dulcielly Nóbrega, defensora pública e coordenadora do Núcleo de Defesa da Mulher

– Cyntia Gioconda Honorato Nascimento, médica Legista

– Joluzia Batista, socióloga e representante do Centro Feminista de Estudos e Assessoria (CFemea)

– Jane Klébia do Nascimento Silva, delegada chefe da 6ª Delegacia de Polícia do Paranoá (DF)

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *