Clima esquentou na sessão ordinária desta segunda (12). Foto: Wallace Rosa

As obras de construção do “molhe” no Recanto de Itaipuaçu foram motivos de mais um desentendimento na Câmara de Vereadores de Maricá. Na sessão ordinária desta segunda-feira (12), os vereadores Felipe Auni (PSD) e Ricardinho Netuno (Patriotas) discutiram sobre o assunto a ponto de ser cogitada a intervenção dos seguranças da Casa Legislativa.

O vereador de oposição subiu à plenária para falar sobre a denúncia feita à Polícia Federal (PF) sobre o roubo de areia da praia, motivo pelo qual a obra teria sido embargada com o apoio do Instituto Estadual do Ambiente (Inea).

Em seguida, o líder do governo, Fabrício Bittencourt (PTB), usou seus cinco minutos na tribuna para desmentir a acusação feita pelo Ricardinho Netuno e afirmou que a autarquia de Serviços de Obras de Maricá (SOMAR) possuía a licença para realizar a obra.

Durante as considerações finais, o vice-presidente da Câmara, Felipe Auni – que atuou como presidente na ausência do vereador Aldair de Linda (PT), afirmou que quem irá sofrer com as acusações do vereador Netuno são os pescadores da região.

No meio do discurso, o vereador de oposição questionou a demora nas considerações finais e o clima esquentou. Mesmo com o microfone desligado Netuno reclamou sobre a conduta de Auni.

O vice-presidente da Casa afirmou que irá levar o caso à comissão de ética e encerrou a sessão. No entanto, logo após nos corredores da Câmara os dois ainda trocaram acusações e precisaram ser acalmados pelos colegas parlamentares.

Comentários sobre “Confusão entre os vereadores nos corredores da Câmara de Maricá

  1. Essa prefeitura é uma piada, bando de ladrões. A obra iniciou sem nenhuma licença, sem nenhum estudo ambiental, e eles estavam SIM roubando centenas de caminhões de areia da praia, durante MESES. O Ricardinho do Netuno está certo e tem todo o apoio da população do Recanto de Itaipuaçú.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *