domingo, 25 de outubro de 2020

De olho nos últimos passos de Robson Giorno

De acordo com a polícia, a morte do empresário pode ter sido por motivação política. (Foto: Divulgação)

O corpo do empresário e pré-candidato à Prefeitura de Maricá pelo partido Avante, Robson Giorno, de 45 anos, foi enterrado às 16h desta segunda-feira (27), no Cemitério São Francisco Xavier, no Cajú, Zona Portuária do Rio.

A cerimônia foi reservada para familiares e amigos da vítima, que muito abalados, optaram por realizar o sepultamento fora da cidade em que ele residia. Giorno era dono do jornal ‘O Maricá’ e foi morto a tiros na porta de casa na Avenida Prefeito Ivan Mundin, na Estrada do Boqueirão, Região Central de Maricá, na noite do último sábado (25).

Ainda na tarde desta terça-feira, a delegada titular da Divisão de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSGI), Bárbara Lomba, apresentou as primeiras linhas de investigação sobre o caso e não descarta motivação política. Ela também afirmou que o assassinato de Robson foi feito de maneira planejada.

“A vítima saiu de casa por volta das 22h da noite para realizar uma atividade específica. Nós entendemos que ele foi levado para fora. Temos a notícia de que ele usava carro blindado, mas no momento do crime ele não estava dentro do veículo. Vamos buscar com quem ele estava lidando, quem ele estava criticando e se havia divergência com alguém. No momento em que a vítima havia acabado de sair de casa, passou um carro e efetuou os disparos. Foi uma execução, estavam esperando”, afirmou.

De acordo com a polícia, ainda no domingo toda a equipe foi conduzida ao local do crime para realizar as primeiras investigações. Na ocasião, foram colhidas imagens de câmera de segurança do entorno, assim também como depoimentos das testemunhas.

Segunda Bárbara Lomba, atualmente a investigação busca entender com quais pessoas a vítima lidava. Toda a reconstrução dos passos de Giorno também serão feitas pela polícia. O caso segue em apuração.

Câmara lamenta morte

Os vereadores de Maricá lamentaram a morte do empresário. O líder do governo, Fabrício Bittencourt,  disse que apesar da comemoração pelos 205 anos de Maricá neste final de semana, o sentimento é de tristeza.

“Pra mim hoje é um dia muito triste, eu tinha uma relação muito boa com ele. Era um cara que independente da posição ou da oposição tinha um respeito de grande parte da população e dos políticos do município. tinha um grande respeito por ele. Essa morte causa ainda muita tristeza”, declarou.

O vereador Felipe Auni também afirmou ser próximo do empresário e considerou o ocorrido uma tragédia.

“Já pude prestar homenagem a ele e sua esposa, Simone, mas estou muito triste com o ocorrido. Agora é esperar para que a polícia consiga resolver isso o mais rápido possível. É um amigo que parte”, disse.

Para o vereador Rony Peterson, a morte do empresário reforça os tempos difíceis que a população vive, com desrespeito às diferenças.

“Repudio qualquer tipo de violência e torço para que encontrem os responsáveis logo. Qualquer debate ou divergência deve se manter no campo da ideia e não da agressão. Lamento pelo ocorrido”, finalizou.

O presidente da Associação Nacional de Jornais (ANJ), Marcelo Rech, divulgou nota de pesar pela morte brusca do empresário Robson Giorno.

“A morte de Robson Giorno precisa ser esclarecida o quanto antes. A ANJ está estarrecida pelo assassinato do jornalista e proprietário de O Maricá. O Brasil, infelizmente, segue como um dos países com maior número de mortes de jornalistas e radialistas. Uma das razões para esse triste título é a frequente impunidade dos criminosos que atentam contra a liberdade e o direito da população de ter acesso à informação”, disse.

O presidente da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), Daniel Bramatti disse que a organização vê com extrema preocupação esse crime, e já mobilizou a equipe do Programa Tim Lopes para colher informações iniciais.

“Se houver  indícios consistentes de relação entre o assassinato e a atividade jornalística da vítima, vamos ampliar a investigação e pressionar as autoridades para que o caso seja devidamente apurado. O Programa Tim Lopes atua para combater a impunidade em crimes que envolvam jornalistas e comunicadores”, destacou.

Ainda no dia do crime, a Prefeitura de Maricá também lamentou tamanha perda.

“A Prefeitura de Maricá manifesta seu pesar pela morte trágica do jornalista Robson Giorno e espera que as investigações conduzam rapidamente à identificação e punição dos responsáveis. Assim como reiteramos nosso compromisso com a liberdade de imprensa e de expressão, repudiamos também qualquer ato de violência. Reafirmamos ainda nossa permanente preocupação com a segurança de todos os que vivem e trabalham em Maricá. Nossos sentimentos à família”, finalizou.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *