sábado, 23 de janeiro de 2021

De virada, Capitão Nelson é eleito prefeito de São Gonçalo

Capitão Nelson comemorou a vitória pelas ruas do Centro. Foto: Karina Cruz

O policial militar reformado Capitão Nelson (Avante) surpreendeu nas urnas, neste domingo (29), virou em uma disputa acirrada contra o petista Dimas Gadelha e foi eleito o novo prefeito de São Gonçalo para o próximo mandato (2021-2024). Contando com o apoio do presidente da República, Jair Messias Bolsonaro (Sem Partido), o vereador licenciado levou a melhor no segundo turno, garantindo a vitória com 50,79% dos votos válidos (189.719 votos).

Apesar de contar com a parceria de nomes influentes das cidades vizinhas, Niterói e Maricá, como Rodrigo Neves (PDT), Fabiano Horta (PT) e Washington Quaquá (PT), Gadelha — que liderou a disputa no primeiro turno — foi derrotado na etapa final do pleito, garantindo 49,21% (183.811) dos votos válidos.

“Saio desta campanha vitoriosa de cabeça erguida e com disposição de honrar cada voto que me foi confiado. São Gonçalo tem jeito e o gonçalense fez a escolha certa. Eu vou provar que todos os votos em mim confiados foram acertados”, afirmou.

No primeiro turno, Capitão Nelson também brigou voto a voto com o terceiro colocado na disputa, Dejorge Patrício (Republicanos), para garantir a ida ao segundo turno. Como estratégia para bater o poderio petista, o militar reformado angariou o maior número de apoiadores entre os outros sete candidatos à prefeitura que disputaram as eleições. Entre eles, nomes como Ricardo Pericar (PSL) e Roberto Sales (PSD).

Na Câmara Municipal, Capitão Nelson não deve enfrentar muitos problemas. Dos 27 vereadores eleitos, o PM reformado conseguiu somar aproximadamente 52% de parlamentares apoiadores no segundo turno, além de ter conseguido eleger o próprio filho, Nelsinho (Avante). Já Dimas Gadelha garantiu apenas cerca de 41% de apoio. Os outros 7% não declararam apoio público a nenhum dos dois.

Batizado como Nelson Ruas dos Santos, ele é morador do Pacheco, tem 62 anos, é casado e pai de dois filhos. Já atuou por mais de dez anos em diferentes mandatos como vereador de São Gonçalo. Há pouco tempo ocupou, temporariamente, cadeira na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) como deputado, já que era suplente de Marcos Abrahão — parlamentar preso por corrupção na operação Furna da Onça.

Com o retorno de Abrahão, por decisão da Justiça, Capitão Nelson voltou ao cargo de vereador na cidade. Velho conhecido entre policiais de São Gonçalo, o candidato acumulou 23 anos de atuação no 7º Batalhão, onde se tornou capitão, patente incorporada à sua marca política na primeira campanha, em 2004.

Em entrevista ao PLANTÃO ENFOCO no início do primeiro turno, Capitão Nelson comentou sobre os problemas enfrentados na cidade e afirmou que ‘a polícia por si só não vai conseguir resolver, como nunca resolveu’. Na sabatina, ele prometeu unir forças com lideranças religiosas para ‘resgatar e evangelizar crianças, adolescentes e adultos envolvidos com o crime’.

Já entre as propostas do programa de governo, Capitão Nelson garantiu que vai implantar já no segundo mês de mandato o programa ‘São Gonçalo Presente’, um convênio com o governo do Estado para ampliar o Segurança Presente na cidade, com o acréscimo de recursos investidos pela própria Prefeitura.

“O cidadão de São Gonçalo merece segurança. Isto é prioritário. A partir de agora, chega de barricadas. Chega de pedir permissão para entrar em lugares. Esta cidade não é de nenhuma autoridade paralela. Esta cidade pertence ao gonçalense. O Programa Segurança Presente vai se fazer mais presente do que nunca. Este é o primeiro passo para virarmos o jogo em São Gonçalo. Com isto, conseguiremos atrair investimentos e estruturar nossa cidade do jeito que ela merece”, disse.

Votação

Do total de 663.833 eleitores aptos para votar no segundo turno em São Gonçalo, apenas 440.481 foram às urnas. O número de abstenções na etapa final do pleito atingiu 33,65% (223.352 pessoas), superando o primeiro turno, que teve 29,78% (197.709).

Entre os votos válidos — aplicados a um dos dois candidatos, o segundo turno somou 373.530 (84,80%). Votos nulos totalizaram 48.772 (11,07%) e brancos, 18.179 (4,13%).

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *