sábado, 19 de setembro de 2020

Presidente da Cedae vai à Alerj para explicar condições da água

O diretor-presidente da Cedae, Helio Cabral, durante coletiva de imprensa. Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

O diretor-presidente da Companhia Estadual de Águas e Esgoto (Cedae), Hélio Cabral, foi convocado para falar sobre a crise de abastecimento de água na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), na próxima terça-feira (11).

Desde janeiro, cerca de 9 milhões de moradores da região metropolitana do Rio de Janeiro tem recebido água com aspecto turvo. O problema, de acordo com a Cedae, surgiu a partir da proliferação de algas na estação de tratamento do Guandu, na Baixada.

A audiência será conduzida pelo deputado estadual Gustavo Schmidt (PSL), que preside a Comissão de Saneamento Ambiental. Representantes das comissões de Meio Ambiente, Segurança Alimentar e Direitos Humanos também vão integrar a audiência, que inicia às 13h.

A Alerj informou, em nota, que Hélio confirmou presença na audiência.

Sem CPI

A articulação para cobrar soluções da Cedae iniciou ainda durante o recesso parlamentar, através de pedidos de informação e notificação ao Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Parte dos deputados, no entanto, querem uma postura mais incisiva contra a Cedae. Um requerimento de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) protocolado pelo deputado estadual Luiz Paulo (PSDB), na terça-feira (4), aguarda instalação.

O requerimento obteve 28 assinaturas, que é o mínimo exigido pelo requerimento interno. O presidente da Casa André Ceciliano (PT), no entanto, barrou a instalação da investigação, justificando excesso de CPIs.

“Seria uma resposta para a população. Temos que ter um diagnóstico, responsabilização e propostas de médio e curto prazo”, afirmou o parlamentar.

O regimento interno autoriza até sete CPIs simultâneas requeridas por assinaturas. A única forma de exceder o limite seria através de projeto de resolução.

A Alerj possui inquéritos em andamento sobre a Rioprevidência; Hidrômetros; Incêndios e Gás. Além destas, há CPIs protocoladas no último ano pedindo investigação sobre o Samu; ponto eletrônico na Saúde; e Linha 4 do metrô.

O deputado Luiz Paulo busca negociar espaço para a investigação com as CPIs protocoladas em 2020, que chegam a cinco.

(function(i,s,o,g,r,a,m){i['GoogleAnalyticsObject']=r;i[r]=i[r]||function(){ (i[r].q=i[r].q||[]).push(arguments)},i[r].l=1*new Date();a=s.createElement(o), m=s.getElementsByTagName(o)[0];a.async=1;a.src=g;m.parentNode.insertBefore(a,m) })(window,document,'script','https://www.google-analytics.com/analytics.js','ga'); ga('create', 'UA-1023799-1', 'auto'); ga('send', 'pageview');

1 thought on “Presidente da Cedae vai à Alerj para explicar condições da água

  1. Não vai acontecer nada, esse deputado é filho de um dos diretores da empresa. Pela a lei ele não pode ser Diretor por ser país de um Deputado, então foi feito uma manobra e o pai dele foi nomeado como assessor especial da presidência com status de Diretor, mais na verdade quem assina as demandas, projetos e Etc. É o presidente e não o assessor.
    Sendo assim, ele o deputado vai chamar a atenção ou punir o chefe do pai dele é de quem assina os documentos e falcatruas???.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *