Quatro candidatos disputal a Prefeitura de Iguaba. Foto: Reprodução Google Street View

Iguabenses vão às urnas no próximo dia 2 de junho para escolher um novo prefeito. Essa é a segunda tentativa de eleições suplementares na cidade após o afastamento da chapa eleita em 2016. Ao que indica o ritmo das campanhas, desta vez Iguaba Grande supera o impasse político. O Tribunal Regional Eleitoral tem até a próxima sexta-feira (17) para definir os registros dos candidatos ao cargo.

Nas últimas eleições municipais, os cerca de 22 mil eleitores da cidade reelegeram Grasiella Magalhães, do Partido Progressista (PP) para a chefia do Executivo. Desde 2017, o destino do mandato da prefeita tramita no Supremo Tribunal Federal (STF). Isso porque, Grasiella é nora de Oscar Magalhães, que também já foi prefeito da cidade de 2008 até as vésperas da eleição de 2012, quando pediu afastamento por motivo de saúde.

Antigo distrito de São Pedro da Aldeia, a cidade de Iguaba Grande foi fundada há 23 anos. Desde que Iguaba Grande se tornou cidade, Oscar postulava cargo de prefeito, com exceção das eleições de 2004. Depois de exercer seu mandato, emprestou o capital político para a nora.

Diante da reeleição de Grasiella, em 2017 o Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) identificou que aquele seria o terceiro mandato consecutivo da família, o que é vedado pela legislação eleitoral. O Supremo cassou o mandato e autorizou novas eleições, que chegaram a ser agendadas para outubro de 2018.

A prefeita ficou afastada por quatro meses, mas conseguiu uma decisão liminar favorável no STF e voltou ao posto sob protestos às vésperas da eleição suplementar.

Grasiella teve a chapa impugnada nas eleições de 2016, mas manteve mandato por decisão liminar. Foto: Redes Sociais/Divulgação

O mandato de Grasiella se manteve amparado pela decisão concedida por Ricardo Lewandowski até maio de 2018, quando o próprio ministro cassou a liminar. A defesa da prefeita interpôs um agravo regimental, uma espécie de recurso, e se manteve no Executivo até o julgamento do recurso.

Os processo no STF acumula quatro volumes e mais de 600 páginas. Esta não é, no entanto, a única disputa judicial enfrentada pela prefeita. Grasiella foi efetivamente afastada por denúncia do Ministério Público (MPRJ).

Candidatos

Os eleitores vão às urnas para escolher o prefeito e vice-prefeito que vão exercer mandato até 2020, quando acontecem as eleições municipais regulares em todo o país. O período de registro de candidaturas já encerrou, mas as candidaturas serão julgadas até a próxima sexta-feira (17).

Por enquanto, se registraram para as eleições os candidatos Jefinho (PTC), Miqueias Gomes (MBD), Rodolfinho Pedrosa (PR), suboficial Washington Tahim (PSL) e Vantoil (PPS).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *